Home → Edição nº 150

INFORM@TIVO

 

ESPECIAL – REPERCUSSÃO

 

Participantes analisam o Treinamento da Amil realizado na AHESP

A programação apresentada pela operadora aos cerca de 60 participantes que compareceram à AHESP no último dia 19 foi dividida em duas partes:

Parte 1:

Parte 2:

Ao final do encontro, a Amil solicitou que os participantes preenchessem uma avaliação própria da operadora. Já o Informativo AHESP colheu algumas avaliações durante o intervalo e também após o encerramento:

Estou no hospital há pouco tempo, desde setembro. Nunca trabalhei em hospital, sempre em operadora. Estou gostando porque estou do outro lado e acho que o treinamento de hoje está sendo muito bom, muito explicativo, super fácil e estou entendendo tudo. Acredito que será possível sanar alguns problemas que estão ocorrendo; não digo todos porque muita coisa depende de outros departamentos, do entendimento de cada departamento e, por isso, acho que cabe a cada um que está aqui levar para seu hospital e tentar repassar essas informações, reforçar, ficar sempre acompanhando e cobrando porque se não a gente nunca sabe o resultado. Creio que temos interesse em melhorar. Aliás, acho que é do interesse de todos, prestadores e operadoras.– Kyoko Sugai, Supervisora Comercial do Hospital Santa Cruz.

Na teoria, eu acho que está sendo muito válido, só que, na prática, não funciona desse jeito. Isso porque a Amil é uma entidade muito difícil. Eles já estiveram lá no hospital em março, fizeram uma reunião com a gente, nós tentamos fazer mais ou menos o que eles queriam e as glosas permanecem. Eu tenho glosas recursadas de dezembro de 2014 que, até agora, não me foram pagas e não é falta de tentar negociar. Eles não pagam praticamente nada! Tudo que precisamos falar não tem uma pessoa específica para ser procurada. Agora, quem está tratando dessa parte é minha gestora administrativa, porque nosso fluxo de glosa está muito alto e estão muito difíceis as tratativas com eles! O treinamento em si, por enquanto, está ótimo, mas, como falei, a teoria é ótima e a prática está se mostrando muito difícil!– Adeilde Santos Assumpção, Recurso de Glosas do Hospital Infantil de Santos.

Gostei bastante do treinamento e gostaria que ele fosse mais extensivo. Achei que o tempo foi curto. Vim com o propósito de resolver alguns problemas que têm ocorrido e creio que alguns serão resolvidos.– Albenice Figueroa Alves, do Hospital Cruzeiro do Sul.

Achei o treinamento interessante, mas só que o problema principal que eles têm, pelo que eu vi, não vão resolver a médio prazo. É o que? Você mandar um arquivo  de faturamento e eles criticarem o arquivo no momento que você mandou. Pra mim, enquanto eles não fizerem isso, será impossível a glosa zero que eles estão querendo.– Dezinaldo de Oliveira Junior, do Hospital São Lucas de Santos.

Na verdade, a maioria das ferramentas apresentadas eu já conhecia, mas para quem não conhecia foi bom. Creio que existem coisas mais específicas para resolver os problemas com os hospitais, mas acho que foi o pontapé inicial e, por isso, eu gostei.– Eduardo Galhardo, do Hospital Santa Rita.

Achei que o treinamento foi bom, mas não dá para avaliar de imediato o nível de satisfação pelo curto tempo da explanação do tema e dos processos, que são muito detalhados. No geral, foi muito bom e adorei a atenção que a Vera Viana deu para nós. Espero realmente que eles consigam melhorar o relacionamento com os prestadores, que é o que mais precisamos, eu e meus colegas, ou seja, da melhoria no relacionamento.– Carmem Lúcia Lima, Gerente Comercial do Hospital Bom Clima.

Foi meu primeiro treinamento junto à Amil e achei interessante as pontuações feitas pelos participantes e esse contato com os trabalhadores da Amil. Para mim, o mais interessante de tudo é essa troca que estamos fazendo aqui entre os hospitais, conhecendo outras realidades, que eles também sofrem para fazer os recursos, os tipos de glosas etc. Portanto, acho que foi válido.– Paula Buck, Enfermeira do Departamento de Contas a Receber do Hospital Vera Cruz.

 “Acho que foi importante a intervenção da AHESP para que acontecesse esse encontro, porque nosso maior problema é o de comunicação, pois a gente tenta entrar em contato com eles e não conseguimos obter resposta. Essa reunião ajuda muito! Nós já participamos de alguns treinamentos na Amil, mas aqui, tendo as pessoas que hoje vieram, é um passo importante para que a gente consiga resolver os problemas.– Luiz Antonio de Melo Albuquerque, Supervisor de Recursos de Glosas do Hospital Santa Cruz.

 


Ed. Anteriores