AtualAnteriores → Edição nº 107

INFORM@TIVO

 

EDITORIAL

 

A Saúde no Município de São Paulo

Embora Saúde tenha sido o grande foco das promessas da campanha do atual prefeito Fernando Haddad, a área continuou sendo a mais problemática da gestão municipal e tem liderado o ranking das maiores preocupações dos moradores da capital. Aliás, quando da escolha de Alexandre Padilha para comandar a segunda maior pasta da cidade, o argumento foi de que o ex-Ministro da Saúde assumiria para garantir o cumprimento do plano de metas.

Pois bem, indo na contramão, ao invés de melhorar e até mesmo ampliar o atendimento na estrutura já existente, o objetivo passou a ser a inauguração de três novos hospitais, que foi a principal promessa de Haddad. No entanto, sem receber o dinheiro prometido pelo governo federal, o prefeito resolveu aumentar o orçamento.

Na semana passada, durante audiência pública da Câmara Municipal, Haddad determinou um aumento de 11% no orçamento da Saúde para 2016, passando de R$ 8,5 bilhões para R$ 9,4 bilhões, justamente no ano em que termina seu mandato, demonstrando estar sem esperanças de que os recursos federais chegarão a São Paulo. Afinal, ao que parece, a presidente Dilma Roussef deixará o companheiro de partido com a tarefa de arrumar alternativas para cumprir pelo menos parte de suas promessas. Isso porque dos R$ 145,6 milhões prometidos pelo governo federal em fevereiro, para a construção do Hospital de Parelheiros, nenhum centavo chegou até agora.

Neste caso, em que a obra está apenas 23% concluída até agora, a gestão petista teve que assumir que a promessa do governo federal pode mesmo não ser cumprida: “A Prefeitura vai trabalhar com aquilo que está acertado, de que terá os recursos federais para a conclusão do hospital. Mas, se necessário, vai colocar recursos municipais”, discursou o secretário de Saúde, Alexandre Padilha.

Dos três hospitais prometidos pela gestão Haddad, dois ficam na Zona Sul, que possui a menor oferta de leitos públicos da capital e o terceiro, na Zona Norte. As informações são de que as unidades da Vila Santa Catarina e de Parelheiros somarão 515 leitos. O Centro Médico da Brasilândia terá mais 250 leitos, mas, como o início das obras atrasou seis meses, sua conclusão já foi adiada para 2017.

O Hospital Santa Catarina e o de Parelheiros nós vamos entregar e o prefeito Haddad vai terminar seu primeiro mandato atendendo sonhos dessa cidade de mais de 20 anos”, assegurou o secretário.

Aos simples mortais, resta apenas esperar pra ver, enquanto aguardam por melhorias no atendimento nos inúmeros serviços que já estão funcionando. Cansados de promessas, os paulistanos terão mesmo que ver para crer!

 


SAÚDE SUPLEMENTAR

 

ANS promoverá mudanças no Programa de Qualificação das Operadoras

Com o objetivo de promover a melhoria contínua do Programa de Qualificação das Operadoras, a Agência Nacional de Saúde Suplementar promoverá mudanças, a partir do ano que vem.

As novas dimensões do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) foram alteradas em sua composição e no peso para definição das notas das operadoras e são resultado do alinhamento aos Eixos Direcionais da Agência, à Agenda Regulatória e à literatura de Qualidade em Saúde.

O IDSS 2016 continuará com quatro dimensões, mas com a seguinte composição:

Segundo a ANS, as novas dimensões estão mais interligadas e passarão a ter o mesmo peso no próximo levantamento, ou seja, 25%. Assim, mudará o impacto de cada dimensão na composição das notas das operadoras, uma vez que, até 2015, o indicador “Atenção à Saúde” representava 40%, ou seja, o dobro dos outros três, cada um com 20%.

Vale destacar que o Programa de Qualificação de Operadoras faz parte de um conjunto de iniciativas da ANS que tem como base a avaliação e o estímulo à qualidade do setor, buscando a integração deste a outros programas de qualidade, tais como o Programa de Acreditação de Operadoras e o Programa de Qualificação de Prestadores (Qualiss).

 


É NOTÍCIA – SETOR

 

UNIDAS é eleita titular do Conselho Nacional de Saúde

Representada por seu presidente, Luís Carlos Saraiva Neves, a União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (UNIDAS) foi eleita como membro titular do CNS para o triênio 2015-2018.

Órgão vinculado ao Ministério da Saúde, o Conselho tem como missão a deliberação, fiscalização, acompanhamento e monitoramento das políticas públicas de saúde.

Para a UNIDAS, é extremamente gratificante poder continuar a participar de discussões e decisões referentes à saúde da população brasileira. É uma oportunidade para pautarmos assuntos que consideramos relevantes para o setor, como políticas de prevenção, bastante presente em autogestões”, destacou o presidente da entidade.



NotreDame Intermédica compra Grupo Santamália Saúde

Embora o anúncio da compra do grupo da região do ABCD paulista pela terceira maior operadora de planos de saúde do país tenha sido feito no mês de julho, a aprovação do CADE e da ANS ocorreu no último dia 16 de novembro.

Com a compra do controle acionário do Santamália, a Intermédica amplia sua participação no mercado de saúde, incorporando 250 mil beneficiários, dois hospitais com cerca de 250 leitos, 17 centros clínicos, cinco unidades de pronto atendimento e dois mil colaboradores.

Em comunicado ao mercado, o Grupo NotreDame Intermédica informou que a aquisição faz parte da sua estratégia de crescimento através de aquisições e investimento em rede própria. De acordo com o presidente Irlau Machado Filho, o Grande ABC é uma região estratégica, com 2,6 milhões de habitantes entre as sete cidades, onde passam a ter 220 mil beneficiários.

O executivo garante que os clientes de ambas as empresas tendem a ganhar com o negócio, uma vez que a maior escala de compras poderá resultar em melhores negociações com fornecedores, vantagem que deverá ser repassada aos usuários.

Além de planos de saúde, o Grupo opera planos odontológicos e saúde ocupacional e informa que oferece saúde integral com acolhimento. Com a aquisição, o GNDI fica com a seguinte estrutura:



Fiocruz faz descoberta inédita na ciência mundial

Foto: Gutemberg Brito IOC/Fiocruz/Divulgação

O portal G1 foi um dos poucos veículos da imprensa a divulgar a descoberta inédita feita pelo Laboratório de Flavivírus do Instituto Oswaldo Cruz (IOC-Fiocruz) de que o zika vírus é capaz de atravessar a barreira placentária e chegar até o líquido amniótico.

No dia 17 de novembro, em coletiva de imprensa convocada pelo Ministério da Saúde, foram divulgados os resultados de testes feitos no líquido de duas gestantes que tiveram contato com o vírus e cujos bebês tiveram diagnóstico de microcefalia, o que embasou os representantes da pasta a dizerem que a expansão do zika pode ser a principal hipótese para o aumento das ocorrências registradas no Nordeste.

Em termos científicos, a descoberta é extremamente relevante. Foi a primeira vez no mundo que se detectou a presença do zika em líquido amniótico”, afirmou Rodrigo Stabeli, vice-presidente de Pesquisa e Laboratórios de Referência da Fiocruz. Ele explicou que o vírus é muito novo em termos epidemiológicos e, portanto, não se sabia se teria capacidade de atravessar essa barreira natural que previne de infecções por vírus e bactérias.

 


EVENTO

 

Prestação de Serviços e Financiamento em Saúde são temas de Seminário da ANS

No próximo dia 2 de dezembro, das 8 às 17h30, o Hotel Windsor Guanabara estará sediando o seminário “A Organização da Prestação dos Serviços e o Financiamento em Saúde: Perspectivas no Brasil e no Mundo” promovido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar.

Tendo como proposta debater o tema com representantes de operadoras, órgãos de defesa do consumidor, estudantes e servidores da Agência, o evento apresentará experiências de instituições nacionais e internacionais. Os palestrantes internacionais convidados são Robert Jannet, que falará sobre os modelos de organização da prestação de serviços em saúde e a experiência das ACO Cambridge Health Alliance e Harvard Medical School, e Maureen Lewis, CEO da Aceso Global, que abordará o financiamento em saúde – remuneração X qualidade.

A programação do seminário inclui também duas mesas redondas, com as participações de representantes do Hospital Albert Einstein, Unimed CNU, Uniodonto, FenaSaúde, Sulamérica, Unimed BH e Optum US.

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail eventos@ans.gov.br até 27/11.

Clique aqui e confira a programação.

 



Ed. Anteriores