AtualAnteriores → Edição nº 130

INFORM@TIVO

 

DESTAQUE

Presidente da AHESP é homenageado por contribuição ao setor de Saúde brasileiro

Presidentes da FBH, Luiz Aramicy, e da AHESP, Eduardo Oliveira, no momento da homenagem.

Celebrando 50 anos de atividades agora em 2016, a FBH homenageou algumas personalidades que se dedicaram e contribuíram para o fortalecimento e a evolução do setor Saúde no Brasil, com o troféu “Juntos Somos Mais Fortes”.

A entrega ocorreu durante evento realizado no último dia 22 de novembro, no Espaço Unique, em Brasília, que reuniu senadores, deputados, parceiros institucionais e jornalistas, além de contar com a presença do ministro Ricardo Barros. (Leia matéria nesta edição)

De acordo com a Federação Brasileira de Hospitais, a entrega simbolizou o reconhecimento da entidade às parcerias realizadas ao longo desses 50 anos e, no caso do presidente da AHESP, de forma especial, aos trabalhos prestados ao setor hospitalar do país.

Dr. José Carlos Abrahão, da ANS, com o presidente da AHESP.

Além de ser o atual presidente da Associação dos Hospitais do Estado de São Paulo, o Dr. Eduardo de Oliveira é vice-presidente da FBH, foi presidente da entidade nacional por três mandatos (2003-2005, 2005-2007 e 2007-2010) e secretário-geral por várias gestões.

Graduado em Medicina pela Escola Paulista da Universidade Federal de São Paulo (EPM-Unifesp), com especialização em Cirurgia Geral e Gastroenterologia Cirúrgica pela mesma universidade, o Dr. Eduardo é diretor técnico do Hospital Monumento, diretor do Plano de Saúde Ana Costa e conselheiro do Hospital Ana Costa, de Santos.

Vale destacar, que está no comando da Associação de São Paulo, estado que possui 1.059 hospitais e 66.479 leitos hospitalares.


JUBILEU FBH

Personalidades da Saúde prestigiaram noite especial de celebração, em Brasília.

Presidentes de Associações Estaduais

O Espaço Unique foi escolhido como palco para uma noite de festa, premiação e lançamento, que reuniu senadores, deputados, representantes do setor Saúde, parceiros institucionais e jornalistas, no último dia 22 de novembro, contando com a ilustre presença do Ministro da Saúde, Dr. Ricardo Barros.

Representando cerca de 4.000 hospitais privados do país, a FBH está celebrando 50 anos dedicados à missão de defender e fortalecer o papel de seus associados, na luta por políticas e práticas hospitalares adequadas, capazes de atender às necessidades da sociedade brasileira.

Segundo a entidade, esta trajetória se tornou ainda mais forte com as parcerias conquistadas ao longo do caminho. Parcerias fundamentais que também lutam para que a qualidade e excelência no setor sejam uma realidade. “Em seu histórico, a Federação e suas Federadas transformaram as adversidades em conquistas e seguem norteadas pela meta permanente de qualificar a assistência em saúde, sempre pautadas pela ética e o respeito aos cidadãos.

Como forma de registrar o reconhecimento a essas parcerias, a Federação Brasileira de Hospitais homenageou algumas personalidades com o troféu “Juntos Somos Mais Fortes”. Entre elas, o presidente da AHESP, Dr. Eduardo de Oliveira.

Com o propósito de reconhecer e difundir trabalhos inéditos, que apontem de maneira propositiva soluções, referência e reflexões com foco na melhoria do sistema de saúde brasileiro, a Federação Brasileira de Hospitais criou o Prêmio Synapsis de Jornalismo, cuja cerimônia de entrega da segunda edição fez parte da programação festiva.

Jornalistas premiados com o Synapsis 2016

Este ano, foram quatro as categorias premiadas: impresso (revista Época), internet (site Azmina), rádio (rádio Gaúcha) e TV (Bandeirantes). Para conferir os jornalistas premiados e os temas de cada uma das matérias, clique aqui.

Precisamos valorizar cada vez mais a atuação da imprensa, pois o trabalho dela é primordial aos prestadores do serviço. Precisamos também escutar o que vem do outro lado, da população, para poder melhorar nossos serviços”, ressaltou o presidente da FBH, Dr. Luiz Aramicy Pinto.

Dr. Luiz Aramicy com o autor Olympio Távora e ministro Ricardo Barros.

Diretor Tesoureiro da AHESP, Dr. Ivo Garcia do Nascimento, entrega prêmio à jornalista.

Já o ministro Ricardo Barros enalteceu a homenagem, afirmando que a imprensa é uma plataforma importante de vigilância e acompanhamento da qualidade dos serviços de saúde. “A imprensa ajuda a identificar problemas. Temos enfrentado desafios para a melhoria da gestão dos serviços públicos na saúde. Temos um trabalho importante também no Congresso Nacional, um projeto relevante para a área: a PEC 241 que irá trazer piso (e não teto) de recursos para saúde e trará uma economia de mais de um milhão nos primeiros dias. Decisões importantes estão sendo tomadas para aplicarmos melhor os recursos da saúde. Espero encontrar convergências para buscarmos avaliação dos custos e boa gestão pública para melhorar os resultados na saúde para todos os brasileiros”, destacou.

Buscando incentivar constantemente o empreendedorismo na saúde em todas as suas vertentes, a FBH apoia também publicações sobre o setor e, nesse sentido, com o apoio da Confederação Nacional de Saúde, aproveitou a ocasião para lançar o livro “Um Século de Saúde no Brasil: Avanços e Retrocessos”, do médico e gestor Olympio Távora Derze Côrrea.

A obra é uma leitura crítica dos problemas que afligem o setor e apresenta uma visão de quem viveu vários papéis na execução das políticas de saúde, atuando junto às entidades e trabalhando em prol de uma assistência justa e adequada à população.

Mais uma vez, a AHESP registra parabéns, reitera seu compromisso de lutar ao lado da FBH em prol da Saúde no Brasil e deseja muito sucesso!


JUBILEU ABRAMGE

Em SP, convidados ilustres foram recepcionados com jantar seguido de show.

Maria Rita faz show para convidados da Abramge

Com aproximadamente 200 operadoras de planos de saúde associadas e cerca de 100 mil médicos nas redes credenciadas, a Abramge também está comemorando 50 anos e recebeu convidados no último dia 24 de novembro, no Hotel Unique, em um jantar que foi seguido pelo show da cantora Maria Rita.

Reinaldo Scheibe, presidente da Abramge.

Além do presidente da ANS, José Carlos Abrahão, e diretores do órgão, o evento reuniu executivos da ABIMED, ABIMO, ABRAMED, Anab, Anahp, CMB, CNS, FBH, ICOS, ONA e UNIDAS. A Associação dos Hospitais do Estado de São Paulo esteve representada pelo presidente, Eduardo de Oliveira.

O pioneirismo que marca a história da entidade e os desafios que permearam essa trajetória de cinco décadas foram destacados no discurso do presidente Reinaldo Scheibe. “É importante lembrar que a Abramge é anterior ao SUS e os planos de saúde se tornaram, naturalmente, parceiros privados do setor público de saúde, uma sinergia que antecedeu até mesmo a lei das PPPs, parceria que, inclusive, poderia ser melhor aproveitada na promoção de saúde no país. Em 50 anos, enfrentamos todos os desafios com determinação e disposição para a busca de soluções, sempre com esperança em um futuro melhor, ofertando serviços de qualidade e apoiando o desenvolvimento da assistência à saúde no Brasil, permitindo seu crescimento, modernização e avanço tecnológico”, assinalou.

À direita, presidente da AHESP, Eduardo de Oliveira.

Em um apanhado histórico, a Abramge lembrou que o embrião da medicina de grupo surgiu em São Paulo, quando alguns médicos uniram-se para dar assistência aos funcionários e familiares de uma empresa em expansão, mediante um pré-pagamento fixo. Nos anos 60, se desenvolveu basicamente para atender à classe trabalhadora, por exigência do desenvolvimento industrial, quando se instalava, no ABC, a indústria automobilística e, com ela, o setor de autopeças.

Presidente da AHESP com sua esposa, Sra. Valéria Oliveira.

A precariedade dos serviços públicos na região, de um lado, e, de outro, a medicina privada cara, levaram alguns médicos a se organizarem para atender à demanda crescente, provocada especialmente pelo boom industrial, criando uma opção intermediária e alternativa capaz de oferecer serviços de alto nível profissional e técnico, em sistema de pré-pagamento para o atendimento à saúde daquela população de trabalhadores.

De lá para cá, os planos de saúde continuaram a se desenvolver e, atualmente, são responsáveis pelo atendimento de importante parcela dos cidadãos – cerca de 25% –, além de gastar mais de R$ 100 bilhões em despesas assistenciais, valor semelhante ao do Governo Federal para atender o conjunto da população brasileira.

A AHESP parabeniza mais uma vez a Abramge, reiterando seu reconhecimento pelo trabalho prestado ao longo dos últimos 50 anos e renovando desejos de sucesso!

Fotos: Ricardo Mansho


SAÚDE SUPLEMENTAR

ANS suspende a comercialização de 69 planos de saúde

Como resultado do Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento, a Agência Nacional de Saúde Suplementar divulgou, no último dia 2 de dezembro, a suspensão da comercialização de 69 planos de saúde de 11 operadoras que, juntos, possuem cerca de 692 mil beneficiários. A determinação é resultado de reclamações relativas à cobertura assistencial recebidas no 3º trimestre deste ano, que totalizaram 16.043 queixas, sendo que 13.956 foram consideradas para análise pelo programa.

Quando evitamos o ingresso de novos consumidores em planos que não estão atendendo seus clientes de forma satisfatória, agimos de forma preventiva e alertamos as operadoras para a urgência na adoção de providências para melhoria da assistência prestada. Dessa maneira, preservamos o consumidor que já está nesses planos, que tendem a ter o atendimento normalizado. Com a redução das queixas, as operadoras poderão ter a venda liberada no próximo ciclo, daqui a três meses”, esclarece a diretora de Normas e Habilitação dos Produtos”, Karla Santa Cruz Coelho.

De acordo com a ANS, no universo avaliado, 90,4% das reclamações foram resolvidas pela mediação feita via Notificação de Intermediação preliminar (NIP), o que garantiu a solução do problema com agilidade. Além disso, informa que a medida é preventiva e as operadoras que negaram indevidamente cobertura podem receber multa que varia de R$ 80 mil a R$ 250 mil.


Hospitais serão selecionados para Fase 2 do Projeto Parto Adequado

Reiterando o conteúdo da Circular AHESP 048/16, a Associação dos Hospitais do Estado de São Paulo dá ciência que o Termo de Candidatura para o Projeto Parto Adequado já está disponível no site da ANS. Trata-se da Fase 2 do projeto desenvolvido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, Hospital Israelita Albert Einstein e  Institute for Healthcare Improvement (IHI).

Nesta fase, serão selecionados novos hospitais, que receberão orientação e suporte na metodologia de ciência da melhoria do IHI, com vistas a implementarem mudanças com foco na qualidade da atenção ao parto e nascimento.

A inscrição substitui, para obtenção de 100% do IPCA do Fator de Qualidade, o índice Proporção de readmissão em até 30 dias da última alta hospitalar.

Caso sua instituição tenha interesse em participar da Fase 2 do Projeto Parto Adequado e ainda não tenha preenchido o Termo de Candidatura, deverá fazê-lo e enviar para o e-mail partoadequado@ans.gov.br, seguindo as orientações dispostas nos respectivos termos.

O prazo final para envio é 31 de dezembro de 2016 e os modelos dos termos para Hospitais e para Operadoras podem ser acessados pelos associados AHESP, na área de Circulares do site da entidade.


Já está vigorando a Nova Versão da TISS – 3.03.01

De acordo com reunião do COPISS Coordenador no último dia 24 de novembro e como informado na Circular AHESP 047/16, desde 1º de dezembro, as operadoras de planos de saúde devem estar aptas a receber, dos prestadores de serviços, as guias TISS versão 3.03.101.

Sendo assim, as entidades representativas dos hospitais – FBH e AHESP – solicitam que os associados verifiquem e providenciem as modificações necessárias em seus sistemas, visando a adequação o mais breve possível.

Vale informar que o download dos arquivos atualizados podem ser feitos no site da Agência, clicando aqui e que o padrão TISS está organizado em cinco componentes:

1) Organizacional

O componente organizacional do Padrão TISS estabelece o conjunto de regras operacionais.

2) Conteúdo e estrutura

O componente de conteúdo e estrutura do Padrão TISS estabelece a arquitetura dos dados utilizados nas mensagens eletrônicas e no plano de contingência, para coleta e disponibilidade dos dados de atenção à saúde.

3) Representação de Conceitos em Saúde

O componente de representação de conceitos em saúde do Padrão TISS estabelece o conjunto de termos para identificar os eventos e itens assistenciais na saúde suplementar, consolidados na Terminologia Unificada da Saúde Suplementar - TUSS.

4) Segurança e Privacidade

O componente de segurança e privacidade do Padrão TISS estabelece os requisitos de proteção para assegurar o direito individual ao sigilo, à privacidade e à confidencialidade dos dados de atenção à saúde. Tem como base o sigilo profissional e segue a legislação.

5) Comunicação

O componente de comunicação do Padrão TISS estabelece os meios e os métodos de comunicação das mensagens eletrônicas definidas no componente de conteúdo e estrutura. Adota a linguagem de marcação de dados XML - Extensible Markup Language.

Fonte: ANS


Ed. Anteriores