AtualAnteriores → Edição nº 136

INFORM@TIVO

 

DESTAQUE

Presidente da AHESP participa da primeira reunião do ano da Câmara de Saúde Suplementar

Na última quinta-feira, 9 de março, o presidente da AHESP, Eduardo de Oliveira, esteve no Rio de Janeiro para a primeira reunião da Câmara de Saúde Suplementar (CSS) do ano. A 89ª edição foi promovida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar e contou com a presença do ministro da Saúde, Ricardo Barros.

O encontro também foi o primeiro da Câmara com a participação de Leandro Fonseca da Silva como diretor de Normas e Habilitação de Operadoras. 

O diretor-presidente da ANS, José Carlos Abrahão, abriu o evento saudando a presença de todos e agradecendo, em especial, o interesse e disponibilidade do ministro em participar da atividade. Ricardo Barros enalteceu a parceria do Ministério da Saúde com a ANS em prol da qualidade da saúde. “A ANS é parceira do Ministério e estamos confiantes que, juntos, podemos avançar em direção a mudanças positivas para o país. Queremos uma saúde suplementar forte e estruturada”, destacou o ministro, afirmando que um dos focos de sua atuação é a melhoria da gestão. 

Na sequência, foram apresentados informes e debatidos os seguintes temas: Programa de Intervenção Fiscalizatória, audiência pública sobre coparticipação e franquia, monitoramento do risco assistencial, regras sobre o plano de recuperação assistencial e regime especial de Direção Técnica, resultados da Diretoria de Fiscalização no ano de 2016, normativas recentes sobre regras de regulação econômica e eventos que serão realizados pela Diretoria de Normas e Habilitação de Produtos (Dipro).

Ao final do encontro, o diretor-presidente e a diretora de Fiscalização, Simone Freire, aproveitaram a oportunidade para fazer um agradecimento especial e se despedir dos integrantes da Câmara. A próxima reunião só acontecerá em junho, após o término dos mandatos dos dois dirigentes.

Agradeço a todos pela convivência e trabalho conjunto realizado, mesmo durante os embates, pois eles nos fortalecem e nos fazem crescer”, destacou Simone Freire. 

Gostaria de agradecer aos presentes pelo convívio que tivemos ao longo desses três anos. Em maio eu deixo a Agência e termino essa missão, que procurei desempenhar da melhor forma possível. Nesse período, preconizei o diálogo, a franqueza e a construção de um relacionamento que sempre buscou impulsionar a sustentabilidade do setor”, disse Abrahão, agradecendo também a todos os servidores da ANS que contribuíram para o trabalho realizado no período. O dirigente encerrou a reunião desejando sucesso aos diretores que permanecem. “Desejo à diretoria que vai continuar sucesso e que possam continuar dialogando e construindo uma melhor saúde para a sociedade brasileira”, disse.


EM PAUTA

NotreDame Intermédica compra hospital no ABC, mas está em busca de capital.

Comprada há três anos pelo fundo americano Bain Capital por R$ 2 bilhões, a operadora de planos de saúde tem marcado presença no noticiário não só pelas aquisições, mas também pela possibilidade de abertura de capital.

Após boatos de que estava comprando a Green Line e a Unimed Guarulhos, o que veio a público foi a compra do Hospital São Bernardo, no ABC paulista e, ainda, a possibilidade de vender pelo menos uma parte do negócio.

Aquisições

Embora o valor da transação com o Hospital São Bernardo não tenha sido revelado, o que se sabe é que, além do hospital, o grupo tem uma unidade de atendimento pediátrico e um centro médico na região e que essa foi mais uma aquisição da Intermédica por lá.

Inicialmente, comprou o Grupo Santamália Saúde (hospitais Bosque da Saúde e Montemagno + 17 Centros Clínicos + 5 unidades de Pronto Atendimento + Operadora) e depois, em setembro, adquiriu os ativos da Unimed ABC (70 mil usuários + hospital com 110 leitos + 5 Centros Clínicos + 2 Pronto Atendimento).

No mês passado, foi a vez de entrar também no mercado do Rio de Janeiro, com a aquisição do Hospital Samci.

O movimento de aquisições e investimento em rede própria de atendimento tem se mostrado bastante eficiente e é fundamental para continuarmos oferecendo planos de saúde de qualidade a um preço justo”, afirmou Irlau Machado, presidente da NotreDame Intermédica, ao jornal Valor.

Abertura de Capital

Com o objetivo de divulgar sua oferta inicial de ações, representantes da Intermédica estão divulgando a empresa e seus produtos em Nova York e, segundo apurou o jornal, investidores estratégicos mostraram-se interessados na compra do negócio – caso das seguradoras Axa e Aetna –, o que fez o Bain Capital abrir a possibilidade de vender pelo menos uma parte da empresa.

Nas negociações, o fundo americano avaliou a NotreDame Intermédica em US$ 4 bilhões, preço considerado muito elevado pelo mercado, mesmo avaliando que a operadora passou por profunda transformação e ganhou valor.

No acumulado dos nove meses de 2016, a receita da operadora foi de R$ 2,7 bilhões e, atualmente, o Grupo NotreDame Intermédica é formado por 14 hospitais e 17 prontos-socorros, 70 centros clínicos e dez unidades de medicina preventiva.

Com informações do jornal Valor


SAÚDE SUPLEMENTAR

ANS analisará proposta de Plano de Saúde Popular enviada pelo Governo

Já foi encaminhada à Agência Nacional de Saúde Suplementar a proposta elaborada pelo grupo de trabalho criado para a elaboração do chamado Plano de Saúde Acessível, ou seja, com cobertura mais restrita e preços mais baixos.

Segundo o Ministério, nenhuma das propostas interfere no direito de qualquer cidadão brasileiro acessar a rede pública. Além disso, o comunicado reforça que caberá à ANS verificar a legalidade e a pertinência das medidas sugeridas, podendo, eventualmente, adotar alguma ou parte delas.

Visando dar alternativa aos dois milhões de brasileiros que perderam seus planos de saúde, a participação do Ministério da Saúde foi reunir, para discussão, as mais de 20 instituições ligadas à saúde suplementar. O Ministério não propôs e não opina sobre nenhuma das propostas elaboradas pelo grupo de trabalho”, informou a pasta, de acordo com a Agência Brasil.

Por outro lado, a questão ainda gera polêmica. Em matéria publicada no último dia 7 – portanto, na véspera da divulgação da nota –, O Estado de S. Paulo afirma que as sugestões permitem regras mais flexíveis para aumento de mensalidades, restringem o acesso a procedimentos mais caros e ampliam o prazo para que operadoras providenciem o atendimento a seus beneficiários. Entre as regras previstas, o jornal cita a obrigatoriedade de uma segunda opinião médica para que o usuário tenha acesso a procedimentos considerados de alta complexidade, justificada pelo grupo de trabalho como medida para evitar desperdícios.

Confira o posicionamento da ANS aqui.


Fator de Qualidade: prorrogado o prazo para envio do questionário

Prestadores de atenção à saúde, tais como hospitais e hospitais-dia, profissionais de saúde, clínicas multiprofissionais e Serviços de Apoio Diagnóstico e Terapia (SADT) têm até o dia 20/03/17 para preencherem o questionário que será adotado para fins de aplicação do Fator de Qualidade (FQ).

O formulário, que deve ser preenchido por todos os prestadores, também servirá de base para a realização de uma ampla pesquisa sobre os prestadores de serviços na saúde suplementar, dando subsídios para a elaboração de programas e políticas para o setor, em particular o Qualiss - Programa de Qualificação dos Prestadores de Serviços na Saúde Suplementar.

O questionário está disponível no portal da Agência Nacional de Saúde Suplementar, nos portais de associações, conselhos profissionais das entidades representativas, cujos links podem ser acessados também pelo site da ANS.

Vale lembrar que o Fator de Qualidade é aplicado apenas nas situações em que há no contrato a previsão de livre negociação do reajuste – não há índice predefinido no contrato e não houve acordo entre as partes após os primeiros 90 dias do ano. No entanto, todos os prestadores devem preencher o formulário: para quem não negociou, o mesmo servirá de base para o FQ; para quem negociou, embasará o Qualiss e outras ações.


SUS

Senado aprova atendimento especializado no SUS para vítima de violência doméstica

Jefferson Rudy/Agência Senado

A aprovação ocorreu na véspera do Dia Internacional da Mulher e amplia a abrangência de projeto já aprovado pela casa em 2013 (PLS 295/2013). O texto garante atendimento especializado para mulheres vítimas de violência doméstica e sexual no Sistema Único de Saúde, além de acompanhamento psicológico e cirurgias plásticas reparadoras, se necessário.

De acordo com a Agência Senado, a colocação do projeto em pauta foi decidida pelos líderes da casa e as alterações foram consideradas positivas pelas relatoras da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), senadora Marta Suplicy, e da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), a ex-senadora Ana Rita.

O texto original, de 2013, previa atendimento especial a vítimas de violência doméstica e a Câmara dos Deputados estendeu a proteção também às vítimas de violência sexual. Outra alteração feita no projeto foi a substituição da expressão “organização de serviços públicos” por “organização de atendimento público”. Ambas confirmadas pela Câmara e pelo Senado.


Cadastro mapeará necessidade de equipamentos para ampliar serviços de saúde

Marcello Casal/Agência Brasil

Um novo cadastro permitirá que os gestores do Sistema Único de Saúde informem ao Ministério da Saúde quais equipamentos e materiais permanentes estão faltando para ampliar o atendimento e a assistência à população. 

A iniciativa inédita do Governo Federal tem como objetivo promover um levantamento detalhado sobre a necessidade de aquisição e distribuição desses produtos para regiões com maiores vazios assistenciais. 

Os dados levantados permitirão estudo de ações regionalizadas e integradas do governo federal. O cadastro das unidades deve ser feito até 30 de março, por meio de um formulário disponibilizado no Portal Saúde

A medida está aliada à informação e transparência, que são consideradas prioridades pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. “Com o preenchimento correto desse formulário, teremos condições de fazer um estudo minucioso das áreas das unidades de saúde que mais precisam de equipamentos de diagnóstico, como ressonância magnética, mamógrafos, tomógrafos e raio-x e/ou de terapia, como desfibrilador, bisturi elétrico e laser oftalmológico”, destacou. 

Todas as instituições que prestam serviço assistencial em saúde podem preencher o formulário e participar da seleção, que terá critérios específicos para cada tipo de equipamento e os devidos parâmetros para implantação, infraestrutura e especialidades da unidade, recursos humanos disponíveis, além da capacidade de funcionamento e financiamento dos serviços.


É NOTÍCIA - HOSPITAIS

No ABC, Hospital e Maternidade Brasil completa 100 cirurgias robóticas.

Único da região com um projeto de ponta para realização de cirurgias de alta complexidade assistidas por robô e minimamente invasivas, o Brasil pretende investir mais em tecnologia e no que há de mais moderno no mercado, mantendo sua tradição e credibilidade.

Com menos de um ano no ABC, o Programa de Cirurgia Robótica da Rede D´Or São Luiz já realizou 100 cirurgias e surpreendeu positivamente o coordenador do hospital, Dr. Victor Sergio Stockler Bruscagin. “O sucesso é uma junção de apoio, estrutura excepcional e equipe competente”, avalia.

Além de possibilitar alternativas positivas para o tratamento, maior eficiência comparado a métodos tradicionais, cortes menores, menos dor e desconforto pós-operatório e diminuição da perda de sangue durante a cirurgia, o cirurgião ginecológico, Dr. Rogers Camargo Mariano da Silva, destaca outros benefícios para a mulher. Segundo ele, as cirurgias ginecológicas são as mais realizadas por lá.

Estamos nos tornando referência na região do ABC em cirurgias robóticas de casos delicados e complexos, como endometriose profunda com invasão do intestino, oncológica, reconstrutiva do útero e até gravidez nas trompas. A tecnologia está possibilitando às mulheres evolução rápida, menor tempo de internação e ainda recuperação e retorno mais rápido às atividades do dia a dia”, completa.


Sistema de Agendamento Online do Samaritano já é sucesso

Com o objetivo de proporcionar mais independência aos seus clientes, o Hospital Samaritano de São Paulo implantou um sistema de agendamento online, no último mês de setembro, desenvolvido pela empresa líder de mercado, a CM Tecnologia.

Embora a previsão fosse de que, em um ano, 20% dos agendamentos seriam realizados via online, o número foi alcançado em apenas três meses, segundo Silvia Voulliéme, Gerente de Atendimento do Samaritano. Ela explica que o agendamento é feito na hora, sem depender de e-mails ou de terceiros e que o sistema também permite checar outras informações online como, por exemplo, se o plano de saúde é aceito e qual a cobertura.

O projeto foi pensado para atender um perfil de cliente moderno, multitarefa e que prioriza a praticidade, levou quatro meses para ser concluído e envolveu 20 pessoas, sendo metade do Hospital e a outra da empresa. A ferramenta oferece agilidade e boa usabilidade, uma vez que todas as funcionalidades são integradas ao Sistema de Gestão do Hospital.

Nosso principal desafio foi fazer a integração do sistema com o ERP Tasy, da Phillips. Nosso time conseguiu construir uma conexão inédita para a CM, de forma linear e sem maiores problemas”, conta Fernando Soares, CEO da empresa de tecnologia.

A gerente do hospital afirma que, atualmente, 9% dos exames e 23% das consultas são agendadas virtualmente e completa: “O sucesso foi tão grande, que já estamos trabalhando no próximo passo, que é criar um sistema de check-in automatizado, similar ao que as companhias aéreas utilizam”.

Fonte: Portal Hospitais Brasil


Oswaldo Cruz com inscrições abertas para especialização em Cirurgia Bariátrica e Metabólica

O Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da Faculdade de Educação em Ciências da Saúde (FECS) do Hospital Alemão Oswaldo Cruz está com inscrições abertas para a Especialização em Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

Voltado para médicos com residência médica ou pós-graduação Lato Sensu, nas áreas de Cirurgia Geral ou Cirurgia do Aparelho Digestivo, o curso propõe um novo modelo de especialização, com formação específica de profissionais que atuarão no planejamento, gestão e assistência a pacientes no pré e pós-operatório.

Com duração de seis meses, o programa é coordenado pelo Dr. Ricardo Cohen, também responsável pela coordenação do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. As aulas são realizadas uma vez por mês, de segunda a quinta-feira, em período integral. Neste período, os pós-graduandos têm aulas teóricas, além de imersão em procedimentos cirúrgicos. Os participantes também realizam o acompanhamento de pacientes ambulatoriais e internados na Instituição.

Vale destacar que o Departamento de Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz foi recertificado pela Surgical Review Corporation (SRC) como um serviço médico de excelência, em 2016 e que, em 2009, se tornou a primeira Instituição da América Latina a obter o selo.

Fonte: Saúde Business


Ed. Anteriores