AtualAnteriores → Edição nº 43

INFORM@TIVO

 

EDITORIAL

 

ESPERANÇAS RENOVADAS PARA A MELHORIA DA SAÚDE


No dia 1º de janeiro, na maioria dos 5.565 municípios brasileiros, foram empossados os prefeitos, vices e vereadores. Portanto, neste primeiro momento, devemos renovar nossas esperanças de dias melhores, nos colocar à disposição para contribuir e ficar na torcida para que as boas propostas saiam do papel e se concretizem.

Em São Paulo, por força de lei aprovada em 2007 pela Câmara, o prefeito Fernando Haddad terá que transformar, até março, seu programa de governo em um plano de metas do que vai fazer em seu mandato. Os desafios são muitos!

Na área de saúde, apontada em várias pesquisas de opinião como o principal problema da cidade, a capital paulista tem 4,5 milhões de pessoas que dependem única e exclusivamente do SUS e, segundo especialistas em gestão, o problema central do município é a fragmentação do atendimento. A lista da demanda é enorme e a reorganização do sistema é urgente.

Vale deixar aqui registradas algumas das propostas mais divulgadas durante a campanha: a criação da Rede Hora Certa, que pretende levar para cada uma das 31 subprefeituras estrutura capaz de oferecer exames de imagem e serviços permanentes de cirurgia ambulatorial; implementar instâncias e ações de controle, fiscalização e auditoria sobre contratos de gestão de serviços, convênios e parcerias existentes; inaugurar Unidades de Pronto Atendimento 24 horas (UPAs) em parceria com o Ministério. Além disso, deverão surgir ações decorrentes do forte posicionamento contra a “privatização” dos 25% dos leitos hospitalares nos serviços municipais.

Para comandar a Secretaria Municipal de Saúde, Haddad indicou José De Filippi Júnior, engenheiro civil que coordenou o programa de governo, ex-prefeito de Diadema por três mandatos, tesoureiro da campanha de Dilma para presidência em 2010 e do comitê da reeleição de Lula, em 2006. A indicação surpreendeu vários petistas e o prefeito justificou ter optado por um administrador, uma vez que acredita que o problema da área é de gestão.

Na primeira reunião entre os dois, fizeram parte da pauta as questões da Assistência Médica Ambulatorial (AMA), das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e de novos hospitais. O prefeito reiterou a promessa de construir três novos hospitais e designou equipes para procurar terrenos.

Como representante dos hospitais do Estado de São Paulo, a AHESP se coloca à disposição de todos os municípios para contribuir no que for possível, deseja sucesso aos recém-empossados e permanece na espera de dias melhores para a saúde.

 

Boa leitura e até a próxima!

Dr. Volney Waldivil Maia
Presidente

 

 

 

EM DESTAQUE

 

HOSPITAIS SE PREPARAM PARA ADOÇÃO DO PADRÃO TISS 3.0

Atendendo à solicitação da Federação Brasileira de Hospitais (FBH), a partir do próximo mês de fevereiro, a AHESP estará promovendo reuniões com os representantes dos hospitais do Estado de São Paulo sobre o novo Padrão TISS 3.0, cujo prazo para implantação é 30 de novembro de 2013.

Nessas reuniões, será analisado todo conteúdo do novo padrão para Troca de Informações na Saúde Suplementar, no sentido de uniformizar a conduta e interpretação da medida por parte dos hospitais.

As análises resultantes serão encaminhadas para a FBH, que reunirá o material de todos os estados, utilizando-o em reuniões que também realizará com técnicos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Além de sanar dúvidas e prestar esclarecimentos que forem necessários, o objetivo dos encontros é desenvolver um programa com bastante antecedência para que todos os prestadores hospitalares estejam utilizando o novo padrão até dois meses antes do prazo limite.

Fique atento às informações da AHESP, através deste Informativo, do site e das circulares para agendar as reuniões. Em breve, estaremos comunicando a primeira data.

 

 

É NOTÍCIA

 

COMEÇAM ESTE MÊS OS TESTES DOS INDICADORES DE QUALIDADE DOS HOSPITAIS

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar, as unidades serão submetidas a avaliações mensais relacionadas a 26 indicadores de qualidade como, por exemplo, níveis de infecção, mortalidade e padrão de cirurgia segura.

Nesta fase inicial de testes, que seguirá até junho, cuja participação é voluntária, serão 13 hospitais do Rio de Janeiro, 18 de São Paulo, cinco de Minas Gerais, um do Espírito Santo, dois de Santa Catarina, um do Rio Grande do Sul, um da Paraíba e um do Distrito Federal. Para saber quais são, basta acessar clicando aqui.

Os hospitais que registrarem bom desempenho nas avaliações receberão um selo de qualidade com a letra Q, que deverá ficar ao lado do nome do estabelecimento na lista de prestadores de serviços, em livros e portais das operadoras de planos de saúde.

A expectativa da ANS é de que, a partir de julho, a avaliação se torne obrigatória e informa que os indicadores deverão ser usados também, em uma segunda etapa, para avaliar serviços de apoio, diagnóstico e terapia, englobando laboratórios e unidades de diagnóstico por imagem, oncologia, hemodiálise e hemoterapia.

Em matéria publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, no último dia 11, o Secretário da Federação Brasileira de Hospitais e 1º Vice-Presidente da AHESP, Dr. Eduardo de Oliveira, avaliou: “a divulgação das avaliações de cada hospital levará os que não conseguirem um bom resultado a melhorar seu desempenho e sua imagem diante dos clientes. Por isso, no futuro, os testes acabarão sendo adotados por todos, porque ninguém vai querer ficar sem o selo”.

Anteriormente, em matéria do dia 1ª, no mesmo jornal, o Dr. Eduardo lembrou que a FBH sempre apoiou medidas de acreditação dos hospitais. “A entidade é uma das fundadoras da Organização Nacional de Acreditação que, há 10 anos, avalia a qualidade dos hospitais e já soma 400 unidades acreditadas”, complementou.

ACREDITAÇÃO

 

IBES É A MAIS NOVA INSTITUIÇÃO ACREDITADORA DO SBA/ONA

O Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (IBES) foi oficialmente credenciado dia 10 de dezembro último. A mais nova instituição acreditadora credenciada pela ONA conta com um time de avaliadores com ampla experiência em gestão da qualidade e processos de avaliação nacionais e internacionais, coordenados por Vanice Costa, Diretora de Avaliação e Certificação, Aléxia Mandolesi Costa, Presidente e Diretora de Ensino e Capacitação e Vivian Giudice, Diretora de Planejamento e Controle.

Segundo suas diretoras, o IBES iniciará suas atividades no início de 2013, com a missão de promover a melhoria da qualidade e segurança das instituições de saúde, por meio do processo de Acreditação e Certificação nacional. “A certificação de qualidade de uma instituição deve ser a garantia de que há, efetivamente, segurança para o paciente e esse será nosso papel, contribuir para melhorar a assistência prestada à população”, diz Vanice.

Vamos iniciar nossas atividades com uma equipe experiente e preparada para avaliar e orientar as instituições que desejam entrar num processo de conquista de uma certificação de qualidade. É por meio da troca de conhecimentos, que pretendemos transformar e melhorar o cenário da assistência no país, de maneira a exercer a comunidade o direito à saúde com qualidade”, afirma Vivian.

A proposta do Instituto é também oferecer cursos e treinamentos sobre temas importantes para os profissionais que irão conduzir, participar e atuar nas instituições certificadas. “O compromisso com o aprendizado deve ser permanente, o processo de certificação é um caminho sem volta que exige o envolvimento de todos os profissionais na busca da melhoria contínua e para isso teremos várias atividades de suporte no IBES”, explica Aléxia.

Fonte: Assessoria de Imprensa ONA


Ed. Anteriores