AtualAnteriores → Edição nº 62

INFORM@TIVO

 

EDITORIAL

 

SEGURANÇA DO PACIENTE: PRAZOS PRORROGADOS

Como adiantou a Dra. Maria Eugênia Cury, em evento realizado pela AHESP no último dia 13, a Anvisa realmente prorrogou os prazos para que os serviços de saúde estruturem seu Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), elaborem o Plano de Segurança do Paciente (PSP) e, também, para que iniciem o envio das notificações de eventos adversos.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União, no último dia 20, através da Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 53, que altera o artigo 12, reproduzida pela Circular AHESP nº 044/13, já disponível em nosso site.

Assim, a contar da data da publicação, os serviços de saúde passam a ter 180 dias para criar o NSP e o PSP, ou seja, até janeiro de 2014. O prazo para início da notificação dos eventos adversos também foi aumentado de 150 para 210 dias, ficando para fevereiro de 2014.

Para saber um pouco mais sobre o Programa Nacional de Segurança do Paciente, convido todos a lerem, nesta edição do Informativo AHESP, a cobertura do evento que promovemos tendo como convidada a chefe do Núcleo de Gestão do Sistema Nacional de Notificação e Investigação em Vigilância Sanitária – NUVIG/ANVISA.

Até a próxima!

Eduardo de Oliveira
Presidente

EM DESTAQUE

 

PNSP FOI TEMA DE EVENTO DA AHESP

Atendendo ao convite da AHESP, representantes de hospitais de toda Grande São Paulo e de algumas cidades do interior lotaram o auditório do Hospital Santa Isabel para o evento de esclarecimentos sobre o Programa Nacional de Segurança do Paciente, no último dia 13 de novembro.

Dr. Maria Eugênia – Anvisa, Dr. Frederico – Hospital Sta. Isabel, Dr. Edison – Sta. Casa, Dr. Walter e Dr. Maurity – AHESP.
O Dr. Edison Ferreira da Silva, chefe de gabinete da Superintendência da Santa Casa de São Paulo e conselheiro da AHESP, deu as boas-vindas aos participantes, ressaltando a importância de multiplicar conhecimentos e ações para que a segurança do paciente faça parte, cada vez mais, da rotina dos hospitais e informou que a Associação estará alinhando outros eventos para a troca de experiências entre as instituições.

Com a palavra, o Dr. Frederico Carboni, diretor Clínico e Assistencial do Hospital Santa Isabel, também saudou os participantes, agradeceu à AHESP e aos doutores Maurity e Valter pela indicação para sediar o evento e informou que, há um ano e meio, a instituição implantou seu Plano de Segurança do Paciente, cuja cartilha foi distribuída a todos.

Abrindo sua apresentação, a Dra. Maria Eugênia Cury, chefe do Núcleo de Gestão do Sistema Nacional de Notificação e Investigação em Vigilância Sanitária (NUVIG/ANVISA), informou que o Programa é um trabalho conjunto do Ministério da Saúde e da Anvisa e que, atualmente, estão na fase de estimular para que ele faça parte da realidade dos hospitais brasileiros.

Segundo ela, a experiência da Rede Sentinela serviu de base para o lançamento do PNSP, uma vez que trata de gerenciamento de risco, através da participação de 196 hospitais que respondem por 60 mil leitos e 40 mil atendimentos por dia. “Nos ambientes hospitalares, em todos os ambientes de saúde, a complexidade envolvida nas tecnologias permite e pode induzir a erros e, portanto, o risco é alto. Não porque as pessoas sejam mal intencionadas, mas porque existe risco e errar faz parte da condição humana. Afinal, entre a tecnologia e o paciente, tem o processo profissional, o atendimento, a intervenção”, avaliou.

De acordo com estudos, de cada 10 pacientes atendidos em um hospital, um sofre pelo menos um evento adverso: queda, administração incorreta de medicamentos, falhas na identificação, erros em procedimentos cirúrgicos, infecções, mau uso de dispositivos e equipamentos médicos. “A maior parte dessas intercorrências poderia ser evitada com medidas para ampliar a segurança do paciente no hospital”, disse e complementou apresentando uma avaliação feita pela Fiocruz em 2005, que mostra uma incidência de 7,6% de ocorrências no Brasil, mas um índice de 66,7% de evitáveis. Oportuno destacar os objetivos e ações do Programa que foram apresentados:

OBJETIVOS PNSP



AÇÕES PNSP



A Dra. Maria Eugênia fez questão de frisar que para regularizar a implantação do Programa Nacional de Segurança do Paciente é necessário existir as Resoluções da Diretoria Colegiada (RDCs), mas que o objetivo não é punir profissionais e hospitais. “A perspectiva é, inclusive, discutir com a sociedade e tê-la como parceira, levantar problemas e solucioná-los ou, pelo menos, minimizá-los. Precisamos criar a cultura de segurança do paciente, envolvendo todos: área técnica, gestão e sociedade”, finalizou.

RepercussãoAchei a palestra extremamente importante e interesse! É um assunto que é muito polêmico, porque as pessoas têm a tendência de ocultar os eventos adversos e a palestra foi muito clara na questão da transparência para envolver as pessoas. Afinal, é através do envolvimento que conseguimos chegar às melhorias e à minimização dos riscos.” – Maria Alice, Coordenadora da Risco Hospitalar do Hospital Santa Isabel.

A apresentação acrescentou muitas informações e esclareceu bastante sobre o programa que será implementado, ou seja, norteou os profissionais para que tenhamos uma diretriz para seguir com nosso trabalho.” – Andreia Morgado, Enfermeira do Hospital AMA.

Adoramos a palestra, pois prestou muito esclarecimentos, sanou várias dúvidas e foi muito satisfatória.” – Melina R. Pereira, do Hospital Regional de Franca.

A palestra foi ótima e é louvável ver o Governo começando a trabalhar com questões relacionadas à segurança do paciente, uma coisa que há muito estamos buscando na área de Qualidade. É muito interessante, como citado pela Dra. Maria Eugênia, que eles puxem um pouco para as instituições de ensino, já que hoje o profissional da saúde vem com algumas dificuldades de conhecimento básico. Nosso hospital já trabalha com Segurança do paciente desde 2009.” – Vagner Oliveira, Gerente de Qualidade do Hospital Carlos Chagas.

* Informamos aos associados, que a apresentação da Dr. Maria Eugênia está disponível no site da AHESP, na sessão de Circulares, mediante login e senha.

É NOTÍCIA - ASSOCIADOS

 

HOSPITAL SABARÁ CRIA CENTRO DE OBESIDADE INFANTIL

O primeiro Centro do gênero em instituições privadas do país foi inaugurado pelo Hospital este mês e a proposta é concentrar endocrinologistas, nutricionistas, psicólogos e educadores físicos para que cuidem da criança em conjunto. Afinal, segundo o IBGE, em cada três crianças brasileiras, uma é obesa e apresenta problemas como hipertensão e diabetes tipo 2.

De acordo com Paulina Basch, diretora médica do Sabará, um plano de cuidado é proposto na primeira consulta e o diferencial está no número de atendimentos com cada especialista, além de consultas uma vez a cada três ou seis meses, após atingida a meta.

Com custos que variam de R$ 1.440 a R$ 2.040 para três meses de tratamento, o Hospital já está negociando a cobertura junto a operadoras de saúde.

O Centro de Obesidade Infantil do Hospital Sabará informa ainda que, quanto às dietas, a abordagem deve ser lúdica e o engajamento da família é fundamental.

Fonte: Folha de S. Paulo



A.C. CAMARGO LANÇA “PRÁTICAS DE ONCOLOGIA CLÍNICA”

Também neste mês de novembro, durante o Congresso da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, o Hospital, que é referência mundial no tratamento de câncer, lançou a 1ª edição do Manual de Práticas em Oncologia Clínica. A obra é assinada por Marcello Ferreti Fanelli, diretor de Oncologia Clínica do A.C. Camargo, com colaboração de outros oncologistas clínicos titulares do departamento.

Compartilhando rotinas baseadas em evidências científicas, o Manual oferece consulta rápida e visa auxiliar nas tomadas de decisões do dia a dia. Com mais de 600 páginas divididas em catorze capítulos, traz condutas sugeridas que refletem o tratamento realizado no Hospital e pretende ser revisado periodicamento.

Nosso desafio é que todos os oncologistas clínicos alcancem o objetivo maior de cuidar melhor de cada paciente e com a máxima eficácia. Não temos a pretensão de servir como balizador para tratamento no sistema público ou privado de saúde”, disse o autor.

Fonte: Saúde Business Web

É NOTICIA - ONA

 

DIVULGAÇÃO E USO CORRETO DO SELO ONA

A Organização Nacional de Acreditação notificará os integrantes do Sistema Brasileiro de Acreditação (SBA) para regularização do uso de sua logomarca e dos selos de certificação, de acordo com parâmetros definidos em suas normas. Segundo o comunicado, as instituições vinculadas terão até o final do ano para se ajustarem às exigências e, após este período, haverá maior rigor no acompanhamento.

As regras para veiculação das informações e a uniformidade da identificação das organizações, serviços e programas de saúde com certificação ONA estão detalhadas nas Normas Orientadoras, especificamente na NO 7, que também define as responsabilidades de cada parte integrante do sistema.

Todas as normas estão disponíveis para consulta em www.ona.org.br, bastando, para tanto, preeencher um cadastro.



ÚLTIMO EXAME DO SBA/ONA EM 2013

A prova para o último Exame dos Sistema Brasileiro de Acreditação de 2013 será realizada no próximo dia 7 de dezembro, das 8 às 12 horas. Antes disso, no entanto, entre os dias 2 e 6, os candidatos poderão fazer testes no ambiente da prova (sandbox) para verificar a compatibilidade dos equipamentos e a conexão da rede, para evitar problemas.

A lista de aprovados será divulgada no prazo de até quatro semanas após a realização do exame.

Fonte: Boletim Informativo Acredite Nisso


Ed. Anteriores