AtualAnteriores → Edição nº 73

INFORM@TIVO

 

EM DESTAQUE

 

SANTA CASA DE SÃO PAULO REELEGE PROVEDOR

Eleito pela terceira vez consecutiva, Dr. Kalil Rocha Abdalla segue como provedor da Santa Casa de São Paulo.

Em eleição realizada no dia 16 de abril, a Santa Casa de São Paulo elegeu seu provedor. Sem nenhuma surpresa, Dr. Kalil Rocha Abdalla venceu mais uma vez a disputa com 55,3% dos votos e comandará um dos maiores complexos hospitalares do país por mais três anos.

Nascido em 24 de setembro de 1941 na cidade de São Paulo, Dr. Abdalla é formado em Direito pela USP desde 1965 e, em 1988, recebeu o título de Irmão Remido da Irmandade, tendo exercido os cargos de Procurador da Administração Imobiliária e de Mordomo da Administração Imobiliária, além de Procurador Jurídico da Instituição desde 1990.

Em 2008, se candidatou ao cargo de provedor da Santa Casa de São Paulo com a missão de implantar projetos inovadores e melhorar a administração do hospital. As ideias foram bem aceitas pelos irmãos e ele ganhou com 63% dos votos, em eleição que foi considerada histórica, pois foi a primeira vez que houve dois candidatos para a provedoria nos mais de 400 anos de existência da Irmandade.

Durante a sua gestão, Dr. Abdalla realizou importantes ações em prol da Irmandade e ganhou o título de Dr. Honoris Causa da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Deu continuidade ao projeto de aquisição de prédios ao redor do Hospital Central, sendo que um deles veio a se tornar o Hospital Santa Isabel unidade Jaguaribe, que atualmente atende mais de 75 mil pessoas ao ano por meio de planos de saúde e atendimentos particulares, revertendo todo o lucro arrecadado para a Santa Casa de São Paulo.

Inaugurou também o Instituto de Pesquisa, usado para o gerenciamento das pesquisas clínicas desenvolvidas nas unidades assistenciais da Santa Casa de São Paulo; o Banco de Leite Humano, que abastece dois hospitais públicos de São Paulo e o Hospital Central da Santa Casa; a Enfermaria de Apoio, que conta com 29 leitos destinados à internação de adultos e o novo prédio da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, inaugurado no último dia 11, que irá proporcionar a ampliação do espaço físico do Hospital Central com a mudança dos laboratórios acadêmicos, que antes ficavam dentro do hospital.

Agora, com a vitória sacramentada, o próximo passo do Dr. Abdalla é renegociar a dívida e transferi-la para o BNDES, onde os juros são menores e o número de parcelas maior, dando mais fôlego para as finanças da Instituição. Após esse acerto, o próximo objetivo será a construção do Instituto do Cérebro, com foco em pesquisa e se tornar referência em atendimento neurológico e o Centro de Convenções da Santa Casa, que possibilitará a realização de grandes congressos em saúde e gestão hospitalar, além de otimizar a captação de recursos com a locação dos auditórios.

Mas este é apenas o começo de um processo que, agora dado continuidade, irá manter a Santa Casa de São Paulo como um dos principais hospitais filantrópicos e privados da América Latina, sendo referência em assistência, ensino e saúde.

A AHESP parabeniza o provedor de sua associada pela reeleição e deseja muito sucesso em mais uma gestão!



EVENTO

 

VEM AÍ A HOSPITALAR 2014

Considerada como a mais completa mostra de produtos para a área de saúde, a Hospitalar apresenta milhares de itens em equipamentos médicos, produtos e serviços, funcionando como palco de novos lançamentos e ponto de encontro entre fornecedores e clientes, incluindo pesquisadores, dirigentes hospitalares, médicos e demais profissionais do setor.

Além de 1.250 expositores com as mais importantes novidades da área, a Hospitalar se consolida como importante fórum de saúde, com dezenas de eventos simultâneos, entre congressos, jornadas, reuniões setoriais, nos quais são discutidos rumos e tendências de gestão de negócios para estabelecimentos de saúde. Entre eles, serão realizados, na edição deste ano, os congressos Internacional de Serviços de Saúde, Brasileiro de Administração Hospitalar e Gestão, de Gestão em Saúde, de Design e Operação “Saúde e Mobilidade”, Simpósio Internacional de Enfermagem, Jornada de Medicina Esportiva e Seminário Digital Health.

A feira multisetorial é realizada em cooperação com a MEDICA – Feira Mundial de Medicina e, desde 2000, conta com o diploma de Feira Comercial Certificada concedido pelo Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

A Hospitalar 2014 acontecerá de 20 a 23 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo e todas as informações estão disponíveis em www.hospitalar.com



É NOTÍCIA - ASSOCIADOS

 

SANTA CATARINA É DESTAQUE EM CONGRESSO INTERNACIONAL

São Paulo está sediando, nesta semana, a 11ª edição do Congresso Internacional de Cirurgia Endovascular, que é o principal evento do setor na América Latina e uma referência mundial em cirurgia vascular e endovascular. Nele, o Hospital Santa Catarina será um dos destaques, transmitindo ao vivo sete cirurgias realizadas nos centros de excelência da instituição para que os congressistas conheçam técnicas inovadoras e materiais de alta tecnologia utilizados.

As intervenções incluem ablações de varizes com uso de laser endovenoso e radiofrequência, tratamento com laser transdérmico e angioplastias de oclusões arteriais em membros, usados especialmente em pacientes diabéticos.

Uma das principais palestras técnicas do congresso será sobre o Sandwich, técnica que revolucionou o tratamento de aneurismas aórticos no mundo, desenvolvida e aperfeiçoada pelo Dr. Armando Lobato, do HSC.

A programação terá ainda uma mesa de debate com a participação inédita de médicos da Ucrânia, Estados Unidos e Argentina, alguns dos mais importantes nomes da cirurgia vascular e endovascular.

Fonte: Saúde Business Web


BRASIL SEDIARÁ CONGRESSO ANUAL DO GLOBAL ACADEMICS PROGRAMS

Em 2016, os hospitais A.C. Camargo e de Câncer de Barretos – associados à AHESP – sediarão, ao lado do Albert Einstein, o congresso anual criado pelo MD Anderson Cancer Center, o GAP, uma rede global de centros de câncer, que trabalha de forma colaborativa em pesquisa e educação, visando reduzir o impacto da doença no mundo.

O anúncio oficial do Brasil como a primeira sede da América Latina a receber o evento foi feito pelo vice-presidente do GAP-MD Anderson, Oliver Bogler, durante visita ao país. Para Vilma Regina Martins, diretora do Centro Internacional de Pesquisa do A.C. Camargo, a escolha é um reconhecimento do atual cenário da produção científica do Brasil, principalmente, em São Paulo, onde estão renomadas instituições com nível de excelência em oncologia.

Fonte: Saúde Business Web


EM QUATRO ANOS, REDE D´OR QUER PASSAR DE 4 MIL PARA 7 MIL LEITOS

De acordo com o jornal Valor Econômico, o grupo com 26 hospitais em todo país quer investir R$ 500 milhões em expansão ainda este ano, tendo como uma das metas passar dos atuais 4 mil leitos para algo entre 6 mil e 7 mil, nos próximos quatro anos. Para tanto, as informações são de que a expansão deverá ocorrer de forma orgânica para cerca de 2 mil leitos e o restante via aquisições.

O presidente da Rede D´Or, Heráclito de Brito Gomes, disse que o aporte corresponde a quase 10% do faturamento de R$ 5,5 bilhões previsto para 2014 e informou que o grupo, com atuação nas principais capitais (Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Brasília), tem interesse em praças onde ainda não tem presença.

Outra estratégia é a captação de recursos para investimentos e, para isso, o grupo está avaliando opções como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) já que, atualmente, o capital é proveniente da geração de caixa e de linhas de crédito tradicionais.



É NOTÍCIA – SETOR

 

COMISSÃO APROVA NOMES INDICADOS PARA ANS E ANVISA

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) aprovou nesta quarta-feira (23), por 17 votos a 1, duas indicações do Executivo para agências reguladoras.

O nome do economista José Carlos Magalhães da Silva Moutinho foi acolhido para o cargo de diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O da advogada Simone Sanches Freire, para diretora da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

As indicações serão votadas agora pelo Plenário do Senado em regime de urgência.

Fonte: Portal do Senado


MP QUE REDUZ PUNIÇÕES A PLANOS GERA RECLAMAÇÕES

A aprovação pelo Senado de uma Medida Provisória que reduz as punições e muda a cobrança de multas das operadoras de planos de saúde está provocando reações. Ela ainda precisa da sanção da presidente da República, Dilma Roussef, mas já tem muita gente reclamando.

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação divulgou uma nota afirmando que a medida gera impunidade às infrações cometidas pelos planos de saúde e pede para a presidente Dilma Rousseff vetar o texto.

Atualmente, as multas variam de R$ 5 mil a R$ 1 milhão por infração cometida. O valor é multiplicado pelo número de ocorrências. Com a nova medida, se o plano de saúde cometer de duas a 50 infrações do mesmo tipo pagará multa por apenas duas infrações, considerando a de maior valor.

Hoje, se uma operadora negar um procedimento 50 vezes pagaria R$ 4 milhões. Com a nova regra, a multa cairá para R$ 160 mil.

O líder do governo no Senado, Eduardo Braga, avisou que a presidente vai vetar esse item. Ela tem 15 dias úteis para tomar essa decisão.

Fonte: G1


JUSTIÇA FEDERAL VALIDA SUSPENSÕES APLICADAS ÀS AUTOGESTÕES

A ANS obteve do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no Rio de Janeiro, a cassação da liminar que favorecia a União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (Unidas) e impedia a aplicação das suspensões de comercialização de planos de saúde, em sua totalidade, a esse tipo de operadora.

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar, a liminar cassada era a última barreira judicial que enfrentava neste momento para aplicar as suspensões de comercialização de planos que descumpram os prazos máximos estabelecidos para consultas, exames e cirurgias ou neguem indevidamente cobertura aos beneficiários.

Na prática, a liminar obtida pela Unidas no ano passado permitia que as operadoras de autogestão continuassem incluindo novos membros do grupo no plano de saúde, mesmo que este tivesse a comercialização suspensa pelo programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento da ANS, ou seja, as autogestões apenas não podiam comercializar seus planos suspensos com novos grupos e empresas.

Fonte: ANS

Ed. Anteriores