AtualAnteriores → Edição nº 80

INFORM@TIVO

 

PESQUISAS

 

SAÚDE: NÚMEROS DEMONSTRAM PREOCUPAÇÃO E INSATISFAÇÃO DE BRASILEIROS

Resultados de estudos e pesquisas divulgados recentemente colocam a saúde no centro das atenções e fornecem subsídios para que o tema seja avaliado por diferentes aspectos e pontos de vista, em nível local e também global.

Realizado pela GfK Verein, organização sem fins lucrativos para a promoção de pesquisa de mercado, o estudo global “Desafio das Nações 2014” passou a abranger 17 países, incluindo seis novas localidades e, pela primeira vez, o Brasil. Nele, foram ouvidas 19.767 pessoas e as respostas representam as preocupações de mais de um bilhão de habitantes ao redor do mundo.

Desafios das Nações - 2014 – GfK Verein
  Brasil Média Global
Saúde 55% 17%
Violência 32% 12%
Educação
32% 13%
Política e Governo 15% -
Corrupção 13% -
Preços e Poder Aquisitivo 12% -
Desemprego 4% 30%
Enquanto o desemprego fica no topo do ranking global, no Brasil, os serviços de saúde encabeçam a lista de preocupações da população, sendo citado por 55% dos entrevistados, muito acima da média global de 17%. O medo da violência e a política educacional dividem o segundo lugar lista das maiores preocupações dos brasileiros, com 32% das respostas diante da média global de 12% e 13% respectivamente.

Números apresentados nos telejornais da TV Globo enriquecem as informações quanto ao cenário nacional. Na região Sudeste, 28% da população afirma que a saúde é o problema que mais afeta suas vidas, 31% no Norte e Centro-Oeste, 35% no nordeste e 38% no Sul.

Já na pesquisa encomendada pelo Conselho Federal de Medicina e Associação Paulista de Medicina ao Datafolha, realizada de 3 a 10 de junho com 2.418 pessoas e divulgada no último dia 19, os entrevistados atribuíram notas à saúde pública e privada no Brasil. O resultado? Para 93% dos brasileiros ouvidos, os serviços público e privado de saúde são péssimos, ruins ou regulares, ou seja, 6 em cada 10 pessoas deram nota inferior a cinco.

Com margem de erro de dois pontos percentuais, a pesquisa mostrou que 19% deram nota zero ao atendimento do SUS, outros 18% atribuíram nota cinco e 87% estão insatisfeitos. Juntando a saúde pública e privada 26% deram zero e somente 2% nota 10.

De acordo com o levantamento, os principais problemas enfrentados pelo setor incluem filas de espera, falta de acesso aos serviços públicos e má gestão de recursos e a percepção mais negativa está relacionada ao atendimento nas urgências, emergências e prontos-socorros.

Repercussão da Pesquisa
As respostas estão aí para serem analisadas. Não somos nós, médicos, que continuamos a dizer que a insatisfação é muito grande. No nosso meio, temos certeza absoluta de que esse atendimento é insatisfatório e eu ainda diria mais: é prejudicial”, afirmou Roberto Luiz D´Avila, presidente do CFM.

Vivemos uma fase de agonização desse problema nos últimos 12 anos. Orçamento e administração são os principais problemas. Não podemos continuar nessa espera. Vidas humanas se perdem nesse processo”, avaliou Carlos Vital, vice-presidente do Conselho Federal de Medicina.

A interpretação tendenciosa e parcial dos dados e o esforço do CFM na tentativa de descontrução do SUS”, é a avaliação da nota do Ministério da Saúde assinada pelos conselhos de secretarias municipais e dos secretários de Saúde.

Segundo a última edição da publicação Foco – Saúde Suplementar, da ANS, em março de 2014, o índice de reclamações dos beneficiários caiu pelo quinto mês consecutivo, para os conjuntos de operadoras de pequeno, médio e grande porte. Entre as dez áreas monitoradas pelo Procon-SP, os planos de saúde ocupam, ano após ano, as posições 7º, 9º, 8º e 7º no ranking de queixas, de 2010 a 2013. As operadoras de planos de saúde estão empenhadas em corrigir eventuais imperfeições no atendimento e os indicadores mostram essa determinação”, é o que traz a nota da FenaSaúde, considerando que o resultado da pesquisa contraria o cenário apontado por indicadores do próprio órgão regulador do mercado.

Procurada, a Agência Nacional de Saúde informou que não comentará os resultados da pesquisa Datafolha, alegando que não há um recorte que trate especificamente da saúde privada do país.




PROMESSAS

 

SAÚDE: NOS DISCURSOS, CANDIDATOS AO GOVERNO DE SP PRIORIZAM TEMA

Com os holofotes de pesquisas e estudos de diversas instituições nacionais e internacionais voltados para a Saúde, o Bom Dia São Paulo, da TV Globo, ouviu os nove candidatos ao governo do estado sobre as propostas para o tema.

Com informações superficiais, cada um levanta os pontos que considera principais em saúde, cita problemas, faz promessas, sem detalhar o que pretende fazer para cumpri-las. De qualquer forma, vale conhecer as propostas para poder cobrá-las daquele que for eleito.

Alexandre Padilha (PT)
"Sou médico. No pouco tempo que fui ministro da saúde de Dilma, venci os obstáculos pra começarmos a reduzir as filas, com mais médicos nos postos de saúde. Como governador, teremos os hospitais e AMEs três em um: médicos especialistas, cirurgias e exames no mesmo lugar. Assim como eu fiz com a farmácia popular, faremos parcerias com as clínicas privadas. Milhares de médicos especialistas de graça pra quem mais precisa nas clínicas em todo o estado."

Geraldo Alckmin (PSDB)
"Nós já entregamos oito hospitais novos e vamos entregar mais 11, inclusive o hospital da mulher, hospital com qualidade, com respeito ao paciente. Ampliar as AMEs, que têm médicos especialistas e diminuem fila; a rede Lucy Montouro, que atende pessoas com deficiência; a rede Hebe Camargo, pra atendimento e tratamento do câncer; valorização dos profissionais de saúde, pra termos os melhores profissionais. Em São Paulo saúde é coisa séria."

Gilberto Maringoni (PSOL)
"Pra melhorar o atendimento de saúde e reduzir as filas nos hospitais públicos de São Paulo, é preciso aumentar a verba do estado no Sistema Único de Saúde. Agora, é preciso uma coisa essencial além disso. É preciso definir que verba pública é pra equipamento público, não é pra clínica ou negócio privado. E é preciso acabar com a dupla porta nos hospitais públicos: tem a porta pro grande público, e tem aquela porta pro plano de saúde privado, isso tem que acabar."

Gilberto Natalini (PV)
"O SUS trabalha com verbas insuficientes. O Partido Verde quer melhorar isso. Para cada R$ 100 gastos, os hospitais públicos recebem apenas R$ 60 do governo pela tabela SUS. Veja o caso da Santa Casa de São Paulo. É urgente aumentar as verbas do SUS e melhorar sua gestão, combatendo o desperdício e a corrupção. Desta forma poderemos ampliar os leitos hospitalares, ampliar o programa de saúde da família e desafogar os prontos-socorros."

Laércio Benko (PHS)
"Hoje, infelizmente, a secretaria da saúde deveria ser chamada da secretaria da doença. Isto está errado, vamos investir em prevenção, vamos trazer pra dentro da secretaria da saúde as terapias integrativas, como a massoterapia, a fitoterapia, o reiki. Investir em prevenção é muito mais barato e eficiente. Vamos ampliar o programa de saúde da família, trazendo mais agentes comunitários pra perto dos cidadãos, porque prevenir é o caminho."

Paulo Skaf (PMDB)
"Nós precisamos acertar a gestão da saúde no estado de São Paulo. A realidade é que hoje tem regiões que têm hospitais, faltam equipamentos. Outras que têm hospitais e equipamentos, faltam recursos para que esses equipamentos funcionem. Outras faltam médicos, outras têm médicos e faltam medicamentos. Nós vamos fazer com que todos os hospitais no estado tenham medicamentos, médicos, equipamentos funcionando, e nas regiões que faltarem hospitais, vamos construir novos hospitais. E onde faltar AMEs, vamos construir novas AMEs."

Raimundo Sena (PCO)
"A situação hoje da saúde é catastrófica. Quase tudo está se direcionando para a iniciativa privada que visa, acima de tudo, os lucros. É preciso estatizar todo o sistema de saúde, colocá-lo sob o controle dos trabalhadores, priorizando o bem-estar do ser humano e mais investimento em salários dos profissionais, mais hospitais e mais equipamentos."

Wagner Farias (PCB)
"Em primeiro lugar, nós defendemos que é necessário extinguir todos os contratos e convênios com as chamadas organizações sociais, retomando ao governo do estado a gestão e a supervisão destes hospitais. Segundo aspecto é acabar com o sistema de dupla porta, ou seja, hospitais construídos e mantidos por verbas públicas devem atender apenas pacientes do SUS."

Walter Ciglioni (PRTB)
"A integração da informação através do prontuário médico colocado dentro do cartão do SUS é importantíssima, assim o paciente chega no hospital e já sabe, basicamente, a vida pregressa dele. A outra situação muito importante é a redistribuição adequada das verbas orçamentárias que chegam via SUS do governo federal pro estado de São Paulo."




É NOTÍCIA

 

PAULISTAS RESPIRAM AR QUATRO VEZES MAIS POLUÍDO QUE ÍNDICE ACEITO PELA OMS

Dados de pesquisa inédita realizada pela Universidade de São Paulo mostram que as consequências da poluição poderá matar, em uma década e meia, mais de 200 mil moradores do estado de São Paulo por problemas respiratórios, cardiovasculares e agravamento de outras doenças.

O levantamento da USP revelou que a população respira um ar quatro vezes mais poluído que o índice aceito pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e, de acordo com o engenheiro ambiental Marco Antônio Martins, inalar a poluição da capital paulista corresponde a fumar pelo menos três cigarros por dia.

Reportagem da TV Record mostra os efeitos da poluição que, em certos horários, chega a um índice dez vezes maior do que o aceito pela OMS. Assista o vídeo aqui

Fonte: Portal R7



CENTRO AVANÇADO DE TECNOLOGIA MÉDICA E PESQUISA É INAUGURADO EM SP

Com investimentos de R$ 25 milhões, a Covidien acaba de inaugurar seu primeiro Centro de Inovação na América Latina. Com três mil metros quadrados, o empreendimento ocupa três andares de um moderno prédio na zona sul de São Paulo e tem como foco pesquisa e treinamento.

Repleto de laboratórios que simulam ambientes e procedimentos hospitalares, o Centro Covidien de Inovação pretende capacitar, em seu primeiro ano de operação, cerca de 2 mil médicos brasileiros e latino-americanos, nas áreas de Cirurgia Vascular e Respiratória e os primeiros grupos devem começar o treinamento gratuito já a partir de outubro.

Vale destacar que o CCI está completamente interconectado com os demais centros na Turquia, Índia e Coreia do Sul, permitindo a realização de conferência em tempo real e que a companhia espera aumentar – tanto da esfera pública quanto privada – a quantidade de médicos com técnicas mais modernas para o melhor tratamento e resultado com cursos de ventilação mecânica, monitoramento de sinais vitais, procedimentos cirúrgicos e técnicas de cirurgia minimamente invasivas.

Fonte: Saúde Business 365



PROJETO DE LEI PODE TORNAR GERADOR AUTOMÁTICO OBRIGATÓRIO EM HOSPITAIS

De autoria do deputado Luiz de Deus (DEM-BA), o PL 7231/14 está em tramitação na Câmara dos Deputados e será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Seguridade Social e Família, Finanças e Tributação, Constituição e Justiça e de Cidadania.

O texto torna obrigatória a existência de gerador de energia elétrica com acionamento automático em todos as instituições da rede pública e privada, que possuírem centro cirúrgico, centro obstétrico, unidade de tratamento intensivo, unidade coronariana ou qualquer outra instalação que exija a não interrupção de procedimentos de saúde.

Segundo o autor do projeto, a falta de investimento do governo federal na melhoria do sistema elétrico brasileiro tem colaborado para uma série de falhas e tornado fundamental e inadiável a instalação de sistemas alternativos para suprimento nas unidades hospitalares.

Fonte: Agência Câmara




EVENTOS

 

INFRAESTRUTURA HOSPITALAR TERÁ PAINEL DE DEBATE EM CONGRESSO DE FACILITY MANAGEMENT


Considerado como o maior encontro brasileiro de Facility Management e reconhecido pela qualidade de seu conteúdo programático, o Congresso ABRAFAC 2014 contará, pela primeira vez, com um painel de debates voltado para a área hospitalar e pode ser uma ótima oportunidade para que profissionais de estabelecimentos de saúde aprimorem conhecimentos sobre o gerenciamento de uso, operação e manutenção de suas edificações.

No primeiro dia do evento anual da Associação Brasileira de Facilities, o renomado engenheiro Salim Lamha Neto, da MHA Engenharia, que é responsável por projetos de vários hospitais brasileiros, estará coordenando o painel “Gerenciamento de Infraestrutura Hospitalar: do Planejamento à Operação”.

O Congresso ABRAFAC acontecerá de 10 a 12 de outubro, no Casa Grande Hotel Resort & Spa, no Guarujá, quando serão celebrados os 10 anos da entidade e todas as informações podem ser conferidas clicando aqui

Fonte: ABRAFAC



EVENTO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FUNDAÇÕES TRATARÁ DE MARCO REGULATÓRIO DO 3º SETOR


A APF convida todos os interessados da área social para conhecer a “Nova Lei 13.019/2014 – marco regulatório do 3º Setor” e a “Influência da Tecnologia na Gestão das OSCs”, no evento que promoverá no dia 11 de setembro, das 8 às 13 horas, na sede do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo.

Segundo os organizadores, serão apresentadas palestras com informações atuais e de interesse do terceiro setor, com as presenças de Flávia Regina de Souza (Advogada e Sócia do Escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados); Cláudio Ramos (Consultor, Economista e Coordenador de Tecnologia da Informação da Comissão de Direito do Terceiro Setor da OAB/SP), Nivaldo Cleto (Contador, Engenheiro, Conselheiro do Comitê Gestor da Internet do Brasil – CGI-br e Presidente da Associação das Autoridades de Registro do Brasil - AARB) e Valter Cegal (Engenheiro, Diretor da Associação Telecentro de Informação e Negócios - ATN).

Na ocasião, acontecerá também a entrega do Prêmio Pedro Kassab 2014 à Fundação Dorina Nowill para Cegos, na categoria Pessoa Jurídica, e ao Prof. Dr. Paulo Nathanael Pereira de Souza, que foi secretário da Educação do Município de São Paulo e Diretor Executivo da Fundação Bienal, entre outras inúmeras atividades na área educacional, na categoria Pessoa Física.

Para conferir programação completa, informações e inscrições, acesse aqui

Fonte: APF



FLUXO DE PACIENTE SERÁ TEMA DE SIMPÓSIO INTERNACIONAL NO EINSTEIN

Lembramos que estão abertas, até o próximo dia 1º de setembro, as inscrições para o I Simpósio Internacional sobre Fluxo do Paciente e que profissionais de instituições associadas à AHESP têm desconto de 10%.

O evento será realizado nas dependências do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, nos próximos dias 8 e 9 de setembro e reunirá especialistas nacionais e internacionais, que abordarão importantes questões ligadas ao gerenciamento eficiente do fluxo de paciente, que se tornou um desafio para as instituições de saúde a fim de adaptar a capacidade à demanda, de modo a assegurar que os pacientes recebam o cuidado certo, no lugar certo, na hora certa, durante todo o tempo, promovendo maiores níveis de segurança e satisfação, maior retenção e satisfação do staff médico e assistencial e ainda maior produtividade e rentabilidade para as instituições.

O simpósio oferece as opções de participação presencial e online. Clique aqui e confira a programação e todas as informações.

Fonte: Hospital Israelita Albert Einstein



Ed. Anteriores