AtualAnteriores → Edição nº 94

INFORM@TIVO

 

CUSTOS HOSPITALARES

 

AHESP e Planisa apresentam a solução HECOS

Dr. Walter Valle, Dr. Maurity Freitas e Prof. Afonso Matos abrindo o encontro.

Atendendo ao convite da Associação dos Hospitais do Estado de São Paulo, mais de 20 estabelecimentos de saúde enviaram representantes para o encontro realizado no auditório da entidade, no último dia 8 de abril, em parceria com a Planisa, empresa com mais de 25 anos de história, que é referência em consultoria especializada para o segmento da saúde e está presente na América Latina, África e Europa.

Com o objetivo de discutir as Perspectivas da Gestão da Saúde, a reunião foi aberta com uma palestra do renomado professor Afonso José de Matos sobre “Como viabilizar a Gestão Estratégica de Custos” nos hospitais, quando abordou sobre os sistemas de apropriação (custeio por absorção, direto e baseado em atividade), a conceituação dos centros de custos (produtivos, auxiliares e administrativos) e o processo de produção dos serviços hospitalares, destacando a eficiência no perfil do padrão dos custos e a eficácia no protocolo padrão de tratamento.

Apresentação feita pelo Prof. Afonso Matos

Na sequência, o professor apresentou a solução Health Costs Manager (heCos), um sistema 100% web, de alta escalabilidade (na nuvem) e de baixo custo, que é um avanço significativo no âmbito da gestão estratégica de custos, fundamentado na evidência e experiência de mais de 500 clientes da Planisa e que já está sendo adotado por mais de 100 hospitais brasileiros.

Para ilustrar, o consultor Eduardo Agostini demonstrou a ampla extensão do produto, com seus manuais técnicos, tutoriais informativos, caixa de ajuda, help desk, dashboard etc.

Consultor Eduardo Agostini demonstrando o heCos ao lado do Prof. Afonso.

Finalizando, o professor Afonso e o Dr. Walter Valle, do departamento de Convênios da AHESP, explicaram sobre a ideia de formar um grupo de hospitais para a realização de um projeto piloto e se colocaram à disposição para todos os detalhes necessários.

ENTREVISTA

Informativo AHESP – Gostaríamos de saber mais sobre essa parceria com a AHESP.

Prof. Afonso José de MatosA parceria com a AHESP é pelo fato de ser uma entidade que deve estar voltada e tem como objetivo principal representar os hospitais. Para isso, ela deve dispor de informações, para entender o perfil dos hospitais que representa e, assim, fazer uma reivindicação, uma defesa dos interesses embasada em informações. Caso contrário, ela fica desprotegida exatamente da compreensão do perfil dos hospitais. Com essa parceria, eu penso que a AHESP está inclusive promovendo um crescimento da instituição, estimulando a melhoria da gestão dos hospitais e exercendo melhor o seu papel representativo.

Informativo AHESP – Este sistema é recente?

Prof. AfonsoCom os avanços da tecnologia, principalmente a questão da internet, surgiu agora essa possibilidade de desenvolver um produto “na nuvem”, que é uma nova concepção de arquivo de dados e que não exige infraestrutura de informática, apenas internet. Esse é o grande diferencial, ou seja, a facilidade de implantarmos e de não exigir muita estrutura, ter acesso de qualquer lugar, democratizando a informação com acessos bem definidos. Então, nós que tínhamos uma ferramenta mais convencional, de software, de desenvolvimento, de coisas mais fechadas, mais engessadas, criamos esse sistema com um apelo de trabalhar a informação de forma mais dinâmica e a baixo custo. O desenvolvimento teve início a uns dois anos e já está bastante disseminado, com mais de cem hospitais pelo Brasil.




SETOR SAÚDE

 

Dr. Luiz Plínio é reeleito presidente da ONA

Dr. Luiz Plínio, presidente reeleito.

Durante reunião ordinária no último dia 31 de março, o Conselho de Administração da Organização Nacional de Acreditação reelegeu o Dr. Luiz Plínio de Toledo, da FBH e ex-presidente da AHESP, como presidente da entidade, para mandato que segue até março de 2017.

“Nos últimos anos, temos trabalhado fortemente na conscientização das instituições de saúde sobre a importância da acreditação. Até 2017 vamos expandir esse trabalho com foco em clínicas, laboratórios e ambulatórios e também nas instituições localizadas fora da região Sudeste”, informa o presidente reeleito.

Dr. Arlindo, vice-presidente.

Na vice-presidência, assume o Dr. Arlindo de Almeida, da Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), que substitui o Dr. Luiz Otávio de Andrade, da Confederação das UNIMED do Brasil.

“Pretendo desenvolver e dar continuidade ao trabalho realizado pela ONA, que é de extrema importância para afirmar a qualidade e o padrão de excelência das instituições de saúde no Brasil”, afirma o vice-presidente. “A acreditação traz credibilidade e incentiva a concorrência a aprimorar os serviços prestados. Durante mais de 26 anos como presidente da ABRAMGE e, atualmente, como presidente do Conselho Gestor do Sistema Abramge / Sinamge / Sinog, defendi ações com foco na segurança do paciente para melhorar ainda mais a assistência.”

Também houve mudança na composição do Conselho. Como representante da Associação Nacional de Hospitais Privados (ANAHP), assume Dr. Pedro Palocci, substituindo Carlos Figueiredo. Os demais membros do Conselho permanecem: José Augusto Ferreira (UNIMED); Claudio José Allgayer (Confederação Nacional de Saúde – CNS); Sandro Leal Alves (Federação Nacional de Saúde Suplementar – FENASAÚDE); Paulo Aparecido Brandão Pinto (Sociedade Brasileira de Análises Clínicas – SBAC) e Marcos Neves Anacleto (União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde – UNIDAS).

A AHESP deseja muito êxito à nova gestão para o biênio 2015/2017!

Fonte: Assessoria ONA



Líder mundial em cesáreas, Brasil terá novas regras da ANS a partir de junho.

Na semana passada, em Genebra, numa tentativa de convencer médicos, hospitais e mulheres a repensarem os partos, a Organização Mundial de Saúde apontou o Brasil como líder mundial em cesáreas e declarou que o procedimento se transformou numa epidemia, alertando que somente deve ser realizado quando existem “motivos médicos”.

Marleen Temmerman, diretora de Saúde Reprodutiva na OMS, informa que, hoje, apenas em dois países do mundo o parto normal é minoria: Brasil e Chipre. Ela culpa médicos e hospitais pelo início do que classifica como “epidemia” e argumenta: “Quando há a medicalização dos partos, vemos um aumento das cesáreas”. Já o coordenador do Departamento de Saúde Maternal da entidade, Matin Gulomezoglu, admite que governo e entidades brasileiras estão tentando reduzir a taxa, cujas estimativas são de 55% no final de 2014. “Não será uma tarefa fácil, já que a prática das cesáreas parece estar disseminada”, avaliou.

Por aqui, o parto normal deverá ser mais estimulado por decreto da ANS e por meio das operadoras de saúde que, a partir de junho, terão que seguir rigorosamente as novas regras. Segundo dados estatísticos, o alto índice de cesarianas chega a 88% na rede privada e a 46% na rede pública.

Há quem diga que existe muita especulação envolvida no tema e é que preciso discutir os reais benefícios do parto normal. Ouvido pelo Portal Hospitais Brasil quanto às novas medidas da ANS, o pediatra Sylvio Renam destaca que algumas condições precisam ser criadas: campanhas de esclarecimento para as mães, melhores honorários médicos para parto normal, informação dos benefícios para a saúde da mãe e do bebê e instalações peri-hospitalares que proporcionem condições ideais para a realização do parto normal.

Clique aqui e confira a apresentação da ANS sobre Parto Adequado

Fonte: Portais Uol e Hospitais Brasil



Aberta Consulta Pública sobre Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde

Cidadãos, representantes da sociedade civil e do setor regulado têm até o dia 5 de junho para oferecer contribuições para a proposta de revisão do regulamento sobre gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. O texto está descrito na Consulta Pública nº 20 que trata do tema.

A norma em vigor atualmente, a RDC 306, foi publicada há mais de 10 anos. A revisão se faz necessária em razão da entrada em vigor da Lei 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), bem como pela evolução das tecnologias.

A proposta de regulamento tem por objetivo um maior alinhamento aos novos conceitos e entendimentos introduzidos pela Lei, que diferencia, por exemplo, os conceitos de “resíduo” e “rejeito” e possibilita a entrada da logística reversa nos serviços de saúde.

Alguns pontos da RDC necessitam de adequações, como, por exemplo, o que rege a questão do abrigo externo (local usado para se armazenar os resíduos até o momento de coleta). Pela norma em vigor, o abrigo só pode ser construído em alvenaria. No entanto, hoje, já é possível discutir o uso de materiais alternativos, como o metal, que podem, inclusive, facilitar a higienização.

As sugestões devem ser enviadas eletronicamente por meio do preenchimento de formulário específico. Não é necessário o encaminhamento de contribuições por e-mail ou por protocolo físico. As contribuições recebidas são públicas e estarão disponíveis a qualquer interessado, inclusive durante o processo de consulta.

Fonte: Anvisa



HOSPITAIS SP

 

Santa Catarina inaugura UTI Multidisciplinar


Parte do projeto de expansão do hospital, que conta com investimento na ordem de R$ 12 milhões, a nova área terá dez leitos e contará com infraestrutura completa: farmácia exclusiva, corpo clínico com 100% dos profissionais especializados em Terapia Intensiva e equipe multidisciplinar formada por enfermeiros, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, nutricionista e psicólogo.


Segundo o Hospital Santa Catarina, o objetivo é conciliar os avanços tecnológicos com a excelência na qualidade dos serviços, sempre aliados à segurança e à essência do atendimento humanizado. A nova UTI Multidisciplinar será coordenada pelos médicos Antônio Luís Eiras Falcão e Domingo Vicente R. Lopez.

“O hospital está se adequando à nova realidade brasileira”, explica o Dr. Falcão e o Dr. Lopez complementa: “Com o envelhecimento da população, precisamos nos preparar para melhorar ainda mais o atendimento dos pacientes crônicos”.

Vale lembrar que a instituição é filantrópica, parte da Associação Congregação de Santa Catarina, tem mais de 100 anos e é referência de qualidade em serviços de saúde no Brasil.

Fonte: Saúde Business



Capital ganha novo hospital com tecnologia de ponta

O Dia Mundial da Saúde foi escolhido para a inauguração do Hospital Moriah, um dos mais modernos centros médico-cirúrgicos de alta complexidade e com tecnologia única no Brasil. Localizado próximo ao aeroporto de Congonhas, no corredor Norte-Sul, o projeto é fruto de investimentos – R$ 105 milhões – da Life Empresarial Saúde, operadora que atua no mercado nacional desde 2002.

O principal foco de atuação serão as cirurgias de alta complexidade nas áreas de Neurologia, Cardiologia e Ortopedia, com capacidade para 5.000 atendimentos e 450 cirurgias por mês, e a proposta é inovar no modelo de atenção hospitalar, com o diferencial de atendimento humanizado.

O parque tecnológico do Hospital Moriah tem como destaques aparelhos de ponta nas cinco salas do centro cirúrgico, sendo uma delas híbrida; arco cirúrgico e sistema de navegação ultramodernos; Centro de Diagnóstico com aparelhos de última geração e serviço de endoscopia avançada, com equipamentos que permitem diagnóstico de alta qualidade e intervenção cirúrgica para a extração de tumores, procedimento ainda pouco disponível nos hospitais brasileiros.

Eunice Harue Higuchi é a presidente do novo hospital e David Martins está na superintendência

 

 

Fonte: Portais R7 e Saúde Online

ACREDITAÇÃO

 

Seminário Internacional discute Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde

Especialistas brasileiros e estrangeiros da área de qualidade dos serviços de saúde participarão do Seminário Internacional de Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde promovido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). O evento acontecerá nos dias 7 e 8 de agosto, em São Paulo, no Centro de Convenções Rebouças.

A programação será dividida em dois eixos temáticos: Cuidado Centrado no Paciente, no primeiro dia, e Comunicação, no segundo. Entre os palestrantes confirmados, estão Patricia Rutherford, vice-presidente do IHI (Institute for Healthcare Improvement), dos Estados Unidos; Sue Sheridan, diretora de engajamento do paciente do PCORI (Patient-Centered Outcomes Research Institute), também dos Estados Unidos; John Sweeney, CEO do HCI (HealthCare Informed), da Irlanda, e Paulo Sousa, da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa, de Portugal.

Segundo a superintendente da ONA, Dra. Maria Carolina Moreno, a ideia é que os palestrantes compartilhem com os participantes as experiências vividas em seus países e os resultados de anos de pesquisa. “O objetivo do Seminário é discutir experiências inovadores e boas práticas, temas fundamentais para qualidade dos serviços de saúde no Brasil e no mundo” destaca.

O comitê científico do Seminário é formado por Helidea Lima, diretora de Qualidade Assistencial da Rede D'Or, Maria Dolabela Magalhães, gerente de riscos da SPDM e coordenadora de Conteúdo do ONA Educare, e Ana Maria Malik, coordenadora do Centro de Estudos em Planejamento e Gestão de Saúde da FGV-EAESP, entidade que apoia o evento.


ALGUNS DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO

  • Comunicação em Saúde
  • A importância da comunicação na gestão de crise
  • “Always Events” – Como inserir as expectativas dos pacientes no planejamento do cuidado
  • Comunicação entre especialistas para a segurança na continuidade do cuidado
  • Impactos da participação do paciente na segurança do cuidado
  • O entendimento do paciente na segurança do cuidado


As inscrições já estão abertas e podem ser feitas em http://www.onaeventos.com.br/index.php, onde estão disponíveis também todas as demais informações referentes ao evento e a programação completa.



Ed. Anteriores