AtualAnteriores → Edição nº 96

INFORM@TIVO

 

NOTA DE FALECIMENTO

 

Pedro Roberto G. Rodrigues, diretor do Hospital Carlos Chagas.

Infelizmente, nesta edição do Informativo Eletrônico AHESP, registramos o falecimento de mais um estimado companheiro da diretoria da Associação dos Hospitais do Estado de São Paulo.

No último dia 2 de maio, Pedro Roberto Gomes Rodrigues perdeu a batalha que vinha travando há algum tempo com sua saúde. Velado em São Paulo, o corpo do Conselheiro da AHESP foi sepultado no interior, na cidade de Atibaia.

Embora afastado por problemas de saúde desde o início do ano, Pedro Rodrigues estava atualmente na direção do Hospital Carlos Chagas, de Guarulhos, recentemente adquirido pela UnitedHealth. Sua trajetória profissional na área registra passagens pelos hospitais São Camilo, IGESP e Oswaldo Cruz.

Consternada com mais essa perda, a diretoria da AHESP deixa registrado seus agradecimentos pelas contribuições à entidade e ao setor hospitalar de São Paulo, além da solidariedade à família do amigo.



É NOTÍCIA

 

Governo pode arrecadar R$ 1,4 bi por ressarcimentos de saúde

Em entrevista coletiva no último dia 8, na sede da ANS, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, e a diretora-presidente da Agência, Martha Oliveira, anunciaram novas regras referentes ao ressarcimento das operadoras de planos de saúde ao governo pelos atendimentos prestados na rede pública.

A medida integra um conjunto de ações do governo federal com o objetivo de aprimorar a cobrança do ressarcimento ao Sistema Único de Saúde e, pela primeira vez, as operadoras deverão reembolsar exames e terapias ambulatoriais de alta e média complexidade. Esse tipo de atendimento será identificado por meio da Autorização de Procedimento Ambulatorial (APAC) e a previsão é de um incremento de 149% no volume de procedimentos cobrados.

Entre os procedimentos que passarão a ser reembolsados estão quimioterapia, radioterapia, hemodiálise, cateterismo cardíaco, cirurgia de catarata e a cobrança acontecerá por meio eletrônico, exclusivamente pelo Protocolo Eletrônico de Ressarcimento ao SUS (PERSUS), o que torna o processo mais ágil e mais barato, pois facilita a análise dos casos e elimina a troca de correspondências em papel.

Segundo Chioro, até o final do ano, as notificações poderão chegar em R$ 1,4 bilhão, valor que poderá ser reduzido por conta de recursos administrativos das operadoras.

Em nota, a FenaSaúde explicou que é necessário que as associadas recebam a regulação e tenham um prazo estabelecido para análise da listagem enviada pela ANS. De acordo com a entidade, a listagem apenas identifica os beneficiários que foram atendidos na rede pública e os atendimentos feitos, mas não analisa se teriam direito ou não àquele tipo de atendimento pelo plano de saúde.

Clique aqui e confira a apresentação feita

Fonte: ANS e Portal Exame



Estudo do CFM mostra que defasagem na Tabela SUS afeta maioria dos procedimentos hospitalares

Mais de 1.500 procedimentos hospitalares incluídos na Tabela SUS, padrão de referência para pagamento dos serviços prestados por estabelecimentos conveniados e filantrópicos que atendem a rede pública de saúde, estão defasados. A lista poderia ser ainda maior se considerados os atendimentos ambulatoriais, não apontados no levantamento realizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) sobre a perda acumulada no período de 2008 a 2014, com base em dados do Ministério da Saúde.

Por procedimentos mais frequentes, como a realização de um parto normal, por exemplo, as unidades hospitalares receberam, em 2008, cerca de R$ 472 a cada Autorização de Internação Hospitalar (AIH) aprovada. Sete anos depois, o valor passou para R$ 550 – quase 60% inferior ao que poderia ser pago se corrigido por índices inflacionários como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Se o fator de correção fosse o salário mínimo, o montante chegaria a R$ 823.

Os dados foram coletados junto à base de dados Sistema de Informações Hospitalares do SUS - SIH/SUS, gerido pelo Ministério da Saúde. Além da quantidade de procedimentos autorizados a cada ano, foram confrontados os valores totais e médios pagos em cada um dos procedimentos.

Para Carlos Vital, presidente do CFM, os valores confirmam uma realidade diária: a desvalorização da assistência, com falta de planejamento, financiamento limitado e gestão errática, que desestimula os médicos e demais profissionais de saúde que atuam no SUS. Como resultado desse déficit financeiro, explica o presidente, “o país sofre com o fechamento de leitos, a desativação de hospitais, a crise no segmento filantrópico da assistência e a sobrecarga nas contas públicas de estados e municípios, que precisam se desdobrar para garantir o atendimento da população.”

Para conferir a lista completa dos procedimentos analisados, clique aqui e para ver a matéria no portal do CFM, aqui

Fonte CFM



ANS: Agenda Regulatória 2015-2017 em Consulta Pública

A Agência Nacional de Saúde Suplementar colocou em consulta pública, desde 6 de maio, os temas que irão constituir a Agenda Regulatória 2015-2017. A Agenda é um instrumento de planejamento que agrega o conjunto de temas estratégicos e prioritários, necessários para o equilíbrio do setor, e que serão objeto de atuação da ANS nos próximos três anos. O objetivo é estabelecer as atividades prioritárias, garantindo transparência na atuação do órgão e possibilitando o acompanhamento pela sociedade.

Entidades representativas ligadas à saúde e todos os cidadãos interessados em contribuir podem participar da consulta através do portal da ANS. A discussão será realizada a partir de três eixos centrais para o desenvolvimento do setor:

Eles sistematizam os principais fatores que atuam sobre a oferta e a demanda por serviços de saúde no setor suplementar. Os participantes poderão fazer acréscimos, subtrações ou modificações no documento, apresentando a devida justificativa, até o dia 4 de junho.

A diretora-presidente substituta e diretora de Desenvolvimento Setorial da ANS, Martha Oliveira, aposta em um documento conciso e acessível, que possibilite e incentive uma maior participação e monitoramento das ações pela sociedade e ressalta que 62% das 328 contribuições feitas para a edição 2013-2014 foram acatadas, total ou parcialmente.

O documento final da Agenda Regulatória será apresentado ainda no primeiro semestre deste ano. “A novidade desta edição é a ampliação do prazo de execução do planejamento para três anos, permitindo avanços mais significativos e estruturantes. Nesta edição, pretendemos consolidar as ações já empreendidas, monitorar seus resultados e apontar, quando necessário, para a necessidade de aprimorar as ações regulatórias”, diz Martha.

Uma consulta prévia sobre o documento foi realizada junto aos representantes da Câmara de Saúde Suplementar (CAMSS) na última reunião do colegiado, realizada em março. A CAMSS é órgão de participação da sociedade na ANS, de caráter permanente e consultivo, que auxilia a Diretoria Colegiada nas suas discussões. É formada por representantes do governo federal, entidades da saúde, associações de consumidores e usuários e representantes dos empresários do setor, entre outros.

Esta é a segunda vez que a ANS abre um processo participativo à sociedade para a construção da Agenda Regulatória. Como nas duas edições anteriores, também haverá um processo de consulta aos servidores da Agência.

Veja mais informações sobre a consulta pública.

Confira aqui a apresentação feita na 82ª CAMSS.

Fonte ANS



PRÊMIO MELHORES PRÁTICAS

 

ONA premia melhores práticas no setor de saúde

Em agosto, a Organização Nacional de Acreditação e a revista Melhores Práticas estarão premiando casos de sucesso relacionados à gestão, segurança do paciente e resultados assistenciais em organizações de saúde com o Prêmio Melhores Práticas em Destaque.

A premiação faz parte da programação do Seminário Internacional de Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde, que acontecerá nos dias 7 e 8 de agosto, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo.

Podem participar instituições certificadas ou acreditadas pela metodologia da ONA em qualquer nível. Para tanto, no ato da inscrição, é necessário enviar um relato completo do caso a ser avaliado. “O relato deve conter as lições extraídas de casos reais. O texto precisa apresentar com clareza o problema e as soluções encontradas, tecnologias adotadas e mudanças de processos e práticas”, explica a Dra. Maria Carolina Moreno, superintendente da ONA.

Os três casos vencedores serão anunciados no último dia do evento e, além de reconhecimento, serão agraciados com:

As inscrições para o Prêmio Melhores Práticas em Destaque estão abertas até 15 de julho, por meio do site www.onaeventos.com.br/premio, onde encontram-se o regulamento e demais orientações.



HOSPITALAR 2015

 

Feira Hospitalar trará para São Paulo as novidades globais na área de Saúde

Na próxima semana, entre os dias 19 e 22, São Paulo sediará o mais importante evento de saúde das Américas. A HOSPITALAR 2015 – 22ª Feira Internacional de Produtos, Equipamentos, Serviços e Tecnologia para Hospitais, Laboratórios, Farmácias, Clínicas e Consultórios apresentará os mais importantes lançamentos e as novas tecnologias aplicadas à saúde, desenvolvidas por 1.250 empresas brasileiras e de outros 33 países, no Expo Center Norte.

A feira funciona como ponto de encontro entre a indústria fornecedora, dirigentes e profissionais atuantes em estabelecimentos de saúde do Brasil e exterior e tem atraído, nos últimos anos, mais de 90 mil visitas em seus quatro dias de realização.

Outro importante destaque para o setor é o amplo programa do Fórum HOSPITALAR, que reúne especialistas da área, empresários e profissionais para discutir conceitos em gestão e otimização de recursos financeiros e humanos. Entre congressos, seminários e workshops, são mais de 60 eventos dedicados à apresentação de novas propostas para o desenvolvimento do setor.

Para conferir a programação completa, a lista de expositores e algumas novidades da edição deste ano, clique aqui



Celebrando 50 anos, FBH promoverá Seminário e lançará Livro na HOSPITALAR.

No dia 19 de maio, das 14 às 17 horas, a Federação Brasileira de Hospitais estará promovendo o I Seminário de Esclarecimentos sobre a Dinâmica Ambiental dos Resíduos Hospitalares, cuja abertura será feita pelo presidente da entidade, Dr. Luiz Aramicy Bezerra Pinto e pelo presidente da Confederação Nacional de Saúde (CNS), Dr. Tércio Égon.

O tema “Importância da Gestão dos Resíduos Sólidos Hospitalares e os Impactos do Descarte ao Meio Ambiente” será abordado por Sabrina Gimenes Andrade, Gerente de Resíduos Perigosos do Ministério do Meio Ambiente. A Gerente Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde da ANVISA, Diana Carmem Almeida Nunes de Oliveira, falará sobre “Legislação Atual e Gerenciamento do Descarte dos Resíduos Hospitalares” e a Coordenadora da Comissão Técnica de Meio Ambiente da Associação dos Hospitais de Minas Gerais (AHMG), Renata Mari, tratará de “Diagnóstico e Análise da Situação dos Resíduos de Serviços de Saúde Gerados pelos Hospitais”.

No mesmo dia, a FBH promoverá o coquetel de lançamento do livro Federação Brasileira de Hospitais Cinco Décadas, que resgata a memória da entidade, a implantação das instituições hospitalares, a evolução da Saúde no Brasil e suas políticas.

Para mais informações e inscrições para o Seminário, utilize o e-mail comunicacaofbh@gmail.com

Assessoria FBH



Congresso de Gestão Financeira e Custos será nos dias 19 e 20

Saúde Integral – Planejar para Atender será o tema central do Congresso promovido pela Federação Brasileira de Administradores Hospitalares (FBAH) e pela Federação Latino Americana de Administradores de Saúde (FLAS) que, em cooperação com a Hospitalar Feira + Fórum, reunirá seis congressos simultâneos, compondo o conjunto de atividades científicas do evento.

Nos dias 19 e 20, das 9 às 17h30, será a vez do Congresso de Gestão Financeira e Custos, sob a coordenação científica de Sérgio Lopez Bento, da Planisa, e de Antônio Sérgio Vulpe Fausto, da FBAH.

Na programação, além de casos de sucesso na implantação de ferramentas de apoio à gestão, serão debatidas as perspectivas para a saúde pública e privada em um cenário adverso, como se preparar para a entrada de capital estrangeiro, entre outros.

Para conferir a programação completa do evento e outras informações, clique aqui



Ed. Anteriores